Rodoviários do Rio iniciam paralisação de 48 horas nesta terça

Prefeitura vai reforçar serviços de trem, metrô e barcas; PM fará segurança nas garagens

Uma parte dos rodoviários do Rio cruzam os braços mais uma vez nesta terça-feira (13). Uma paralisação de 48 horas foi iniciada à meia-noite. A decisão foi tomada após uma tentativa frustrada de conciliação no TRT-RJ (Tribunal Regional do Trabalho) na segunda-feira (12). Não houve acordo entre o sindicato da categoria, um grupo que não aceita o aumento proposto, e representantes das empresas de ônibus.

O acordo firmado pelo sindicato dos motoristas e cobradores com a Rio Ônibus, que administra os ônibus no Rio, garantiu 10% de reajuste para a categoria e aumento no vale alimentação de R$ 120 para R$ 150, mas os dissidentes, que não são ligados ao sindicato, reivindicam 40% de reajuste salarial e vale alimentação de R$ 400 - além do fim do acúmulo das funções de motorista e cobrador. De acordo com a Rio Ônibus, no encontro de segunda-feira, não foi possível negociar, já que a comissão formada pelos dissidentes não tem representatividade legal.

Na quinta-feira (8), uma paralisação de 24 horas de parte da categoria prejudicou 1,8 milhão de passageiros e resultou na depredação de 531 coletivos, segundo o sindicato patronal.

Após o anúncio da paralisação, a prefeitura montou um plano de contingência para tentar diminuir os impactos da paralisação. Segundo a SMTR (Secretaria Municipal de Transportes), metrô, trens e barcas serão reforçados, assim como os serviços do BRT Transoeste.

A pasta informou que a Polícia Militar vai reforçar a segurança na saída das garagens dos quatro consórcios, nas estações do BRT Transoeste e nos terminais de ônibus para aqueles que optarem por não aderir à paralisação.

Em entrevista ao R7, o motorista Hélio Teodoro, que lidera o grupo dos insatisfeitos com a proposta de aumento salarial, disse que haverá manifestações nas portas das empresas de ônibus durante a terça-feira (13).

Veja os detalhes da operação especial nesta terça:

Operação SuperVia

- Antecipação do início da operação no horário do pico da manhã em 90 minutos. Ou seja, a partir das 4h30 desta terça-feira, a SuperVia vai operar com capacidade máxima, reduzindo o intervalo entre as composições. Vale ressaltar que os trens começam a circular às 4h;

- Reforço na operação dos trens especiais – Partidas de Bangu, Campo Grande, Deodoro e Madureira;

- Prolongamento da operação no horário do pico da tarde: em função da demanda.

Operação Metrô Rio

- Antecipação do início da operação no horário do pico da manhã em 60 minutos. Ou seja, a partir das 5h30, o Metrô Rio vai operar com capacidade máxima, reduzindo o intervalo entre as composições. Vale ressaltar que o metrô começa a circular às 5h;

- Prolongamento da operação no horário do pico da tarde: em função da demanda.

Operação Barcas (Cocotá – praça 15)

- Antecipação da operação no horário do pico da manhã em 30 minutos, reduzindo o intervalo entre as embarcações: a partir das 6h30 com partidas Cocotá;

- Aumento da oferta de lugares (com partidas simultâneas e∕ou embarcações de maior capacidade);

- Extensão da operação no horário do pico da tarde: antecipação e prolongamento em 60 minutos - Partidas praça 15.

Operação Ônibus

- Prioriza as ligações com outros modais (linhas de ônibus intermunicipais, trem, barcas e metrô);

- Prioriza circulação de linhas essenciais para o deslocamento da população em áreas não atendidas por outros modais de transportes.