Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Usando corda feita de lençóis, três presos fogem do presídio de Bangu

Índio do Jardim Novo, Marcelinho do Merindiba e Jean do 18 teriam escapado pela área de serviço do complexo, na zona oeste do Rio

Rio de Janeiro|Do R7

Cartaz com a foto dos fugitivos foi divulgada pelo Disque Denúncia
Cartaz com a foto dos fugitivos foi divulgada pelo Disque Denúncia Cartaz com a foto dos fugitivos foi divulgada pelo Disque Denúncia

Três presos, considerados altamente perigosos, conseguiram escapar na manhã deste domingo (19) do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro. Segundo informações das autoridades fluminenses, o trio usou uma corda feita de lençóis para escapar do presídio, em uma espécie de fuga cinematográfica.

Índio do Jardim Novo, Marcelinho do Merindiba e Jean do 18 fugiram pela área de serviço de Bangu 6, que fica ao lado de um lixão. A Recap (Divisão de Recaptura da Polícia Penal) foi acionada para procurar os foragidos nos arredores do presídio.

A Seap (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária) transferiu ainda neste domingo 15 detentos de Bangu 6 que fazem parte da mesma facção criminosa que os três homens que escaparam do presídio horas antes.

Durante a tarde, inspetores da Polícia Penal e policiais militares do 14º BPM (Bangu) realizaram uma operação na Vila Vintém, também na zona oeste da capital, em busca dos foragidos. Na operação, uma pessoa foi ferida e levada ao Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, ainda na zona oeste.

Publicidade

De acordo coma Polícia Militar, foram apreendidos uma submetralhadora, carregadores, munições e drogas durante a ação na Vila Vintém.

O Disque Denúncia divulgou o cartaz com as fotos dos três fugitivos e pediu à população informações sobre o paradeiro do grupo. A instituição reforça que o anonimato é garantido.

Jean do 18

Jean Carlos Nascimento dos Santos, conhecido como Jean do 18, é apontado pelas autoridades como antigo chefe do tráfico de drogas no Morro do Dezoito, em Água Santa, na zona norte da capital. Ele foi preso 2017 e possuía mais de 25 mandados de prisão expedidos em seu nome, incluindo homicídios e ocultação de cadáver.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.