Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Alunos de colégio tradicional de SP integram grupo de apologia ao nazismo no WhatsApp

Instituição de ensino afirma que notificou os pais assim que soube da participação dos estudantes na conversa

São Paulo|Do R7, com Agência Record

Estudantes do 5º e 9º anos estavam no grupo
Estudantes do 5º e 9º anos estavam no grupo Estudantes do 5º e 9º anos estavam no grupo (Renato Alves/Agência Brasília - 04/05/2022)

Estudantes de um dos colégios mais tradicionais da capital paulista, o Dante Alighieri, nos Jardins, integraram um grupo de WhatsApp usado para disseminar mensagens de apologia ao nazismo. A comunidade foi banida pelo aplicativo, e os pais notificados pela instituição de ensino.

O grupo nomeado "Meta 500" tinha estudantes do 5º e 9º anos. Assim que soube da participação deles, o Colégio Dante Alighieri afirma que "emitiu um comunicado aos pais e responsáveis alertando-os para a necessidade de monitorar de perto a vida digital de seus filhos, especialmente por se tratar de menores de idade" (leia a íntegra da nota abaixo).

No Brasil, o crime de apologia ao nazismo está previsto no Código Penal pelo artigo 20 da Lei 7.716/89, com pena de até três anos de reclusão e multa.

Procurada, a Meta, dona do WhatsApp, afirma que o grupo em questão foi banido do serviço.

Publicidade

Antissemitismo

Em outro colégio de classe alta da cidade, a Beacon School, na Vila Leopoldina, um caso de antissemitismo veio à tona nos últimos dias.

Um aluno judeu, de 15 anos foi vítima de bullying praticado por outros estudantes. Os agressores foram afastados pela direção da instituição de ensino, que afirmou não tolerar esse tipo de episódio, acrescentando que o ocorrido "não representa os valores da Beacon e fere princípios, direitos e deveres de alunos e da comunidade escolar".

Publicidade

Leia o posicionamento do Colégio Dante Alighieri

"Nota de esclarecimento sobre circular relacionada ao grupo de WhatsApp 'Meta 500': O Colégio Dante vem a público esclarecer as informações contidas na circular que, enviada ontem (19), trata do grupo de WhatsApp com a participação de adolescentes do 5º ao 9º ano, nomeado 'Meta 500'.

Desde que o Colégio tomou conhecimento da existência desse grupo, emitiu um comunicado aos pais e responsáveis alertando-os para a necessidade de monitorar de perto a vida digital de seus filhos, especialmente por se tratar de menores de idade. Não é demais lembrar que o compartilhamento de conteúdo inadequado e ofensivo em ambientes virtuais - no caso, um grupo de WhatsApp - coloca em risco seus participantes pela exposição dos dados pessoais de cada um. Quando o grupo é formado por menores de idade, a responsabilidade do conteúdo recai sobre os pais, que se tornam corresponsáveis pela publicação, ainda que não tenham tido nenhuma participação direta na postagem.

Publicidade

Por isso, recomendamos que os alunos saíssem desse grupo de WhatsApp o mais rápido possível, dado o conteúdo ali presente, e também por haver contatos desconhecidos, podendo ser pessoas mal-intencionadas com o propósito de entrar em contato com os alunos de modo privado, propondo desafios perigosos ou ainda solicitando o envio de fotos íntimas ou dinheiro por meio de ameaças. Felizmente, o grupo já está fora do ar.

O Colégio reforça sua preocupação com os respectivos alunos e ressalta as ações educativas praticadas por seus profissionais em favor da segurança digital, as quais se fazem presentes no currículo desde o Ensino Fundamental, e pede apoio, paralelamente, à efetiva colaboração das famílias na supervisão e orientação da vida on-line de seus filhos."

Publicidade

O que diz a Meta

"O grupo mencionado foi banido.

O WhatsApp encoraja que as pessoas reportem condutas inapropriadas diretamente nas conversas, por meio da opção "denunciar" disponível no menu do aplicativo (menu > mais > denunciar). Os usuários também podem enviar denúncias para o email support@support.whatsapp.com, detalhando o ocorrido com o máximo de informações possível e até anexando uma captura de tela.

Mais informações: Como manter a segurança de adolescentes no WhatsApp"

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.