Justiça comum libera PM detido por morte de camelô na Lapa

Soldado Henrique Dias Bueno de Araújo foi detido após Jornal da Record divulgar vídeo

Imagem do PM anexada a processo em responde por outro homicídio

Imagem do PM anexada a processo em responde por outro homicídio

Guilherme Lima/R7

A Justiça determinou a soltura do soldado da PM Henrique Dias Bueno de Araújo, de 31 anos, que matou um camelô durante ação da Operação Delegada na Lapa, zona oeste da capital, na última quinta-feira.

Na sexta-feira (19), a 5ª Vara do Tribunal do Júri já havia concedido alvará de soltura ao policial. Ele, porém, respondia também à ação na Justiça Militar, pois, além do flagrante de homicídio registrado pela Polícia Civil, havia também um flagrante feito pela PM. Com isso, não pôde ser solto.

Na tarde desta segunda-feira, porém, todo o processo foi remetido ao Tribunal do Júri — como o crime foi cometido contra um civil, a Justiça Militar se considerou incompetente para levar a ação adiante. Assim, um ofício foi encaminhado ao Presídio 

Araújo foi preso na noite de quinta-feira (19) após o Jornal da Record divulgar, com exclusividade, vídeo em que ele aparece atirando na cabeça do vendedor ambulante Carlos Augusto Muniz Braga, na rua Doze de Outubro, na Lapa.

O caso ocorreu durante a Operação Delegada. Antes de o vídeo vir a público, a PM chegou a afirmar que o policial havia feito um disparo acidental após ser encurralado.

Na sexta-feira (19), o R7 revelou que Araújo responde a outro processo pela morte de um morador de rua no início do ano.

Confira o vídeo divulgado com exclusividade pela Rede Record: