São Paulo Justiça mantém condenação a vizinha de Doria por divulgar fake news contra ex-governador

Justiça mantém condenação a vizinha de Doria por divulgar fake news contra ex-governador

Após recurso negado, mulher terá de pagar R$ 50 mil a Doria em ação em que processava o político e pedia indenização de R$ 200 mil

  • São Paulo | André Carvalho, da Agência Record

Mulher havia processado Doria por danos morais e pedido R$ 200 mil

Mulher havia processado Doria por danos morais e pedido R$ 200 mil

Governo do Estado de São Paulo - 10.02.2022

A Justiça de São Paulo manteve a condenação da vizinha do ex-governador João Doria (PSDB), Alessandra Batah Maluf, a indenizá-lo em R$ 50 mil em uma ação em que a mulher processava Doria por danos morais e pedia indenização de R$ 200 mil. A sentença foi proferida em agosto de 2021, mas Alessandra recorreu da decisão e teve o recurso negado, novamente, na última quinta-feira (28).

Na decisão do desembargador José Carlos Costa Netto, Batah ainda precisa se retratar publicamente em um veículo de imprensa de grande circulação e manifestar arrependimento.

Costa Netto ainda desmentiu a vizinha que, em sua defesa, sustentava que jamais havia divulgado vídeo em que narrava uma festa na residência de Doria ou de seus familiares:

"Destarte, a versão da autora de que não teria postado vídeo informando acerca da existência de festa supostamente promovida pelo filho do governador, ora réu, não se mostra verossímil".

A sentença é resultado de uma reconvenção, é um pedido realizado por quem é processado ao apresentar contestação sobre as alegações do autor na petição inicial.

Entenda o caso

No dia 5 de março de 2021,  Alessandra Batah Maluf compartilhou nas redes sociais filmagem em que dizia que o filho de João Doria, na época governador do estado de São Paulo, estava realizando uma festa na casa da família no Jardim Europa, bairro nobre de São Paulo, quando o estado estava prestes a voltar para a fase mais restritiva do plano de combate ao novo coronavírus.

"Está lotado aí dentro. Festa com som. Ali é a casa do Doria e aqui é o filho. As polícias todas lá para proteger ele e aqui o filho dando festa em plena pandemia. Muito bem. Com música ao vivo, tá? Muito bem. Parabéns. Ele fecha o país, mas o filho está dando uma festa aqui do lado da casa dele", disse a mulher no vídeo.

Dois dias após o vídeo viralizar na internet, o então governador João Doria publicou um comunicado em sua conta do Twitter em que afirmava que faria uma queixa-crime contra Alessandra Batah Maluf por publicar um vídeo fake.

A mulher tentou acionar a Justiça para que Doria removesse das redes sociais a publicação em que ela havia sido citada nominalmente como autora do vídeo que atribuiu ao filho do político a festa com música ao vivo, mas o pedido foi negado.

Últimas