Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Segunda suspeita de incendiar e matar mulher em Cotia é presa no litoral de São Paulo

Francileide Gomes estava foragida desde o dia 14 de janeiro, mas foi encontrada após uma denúncia feita por vizinhos

São Paulo|Isabelle Gandolphi, da Agência Record

Mulher teve 80% do corpo queimado
Mulher teve 80% do corpo queimado Mulher teve 80% do corpo queimado

A Polícia Militar prendeu a segunda suspeita de atear fogo em Juniele Rocha Silva Monteiro, de 27 anos, e matá-la, em um bar, em Cotia, na Grande São Paulo, no dia 13 de janeiro deste ano. Francileide Gomes foi presa no dia 12 de maio em Mongaguá, no litoral sul de São Paulo. Ela era procurada desde o dia 14 de janeiro, quando foi expedido o mandado de prisão temporária contra ela (assista ao vídeo abaixo).

A PM realizava patrulhamento pela cidade quando recebeu a denúncia de que a mulher, procurada pelo crime de homicídio, estava escondida no município.

As equipes foram até a rua Teresinha de Souza Bianchi, onde localizaram a suspeita. Na tentativa de enganar os agentes, ela apresentou o RG de sua irmã.

Porém, quando questionada sobre o crime, Francileide confessou a sua real identidade e o envolvimento na morte de Juniele.

Publicidade

A mulher foi conduzida à Delegacia de Mongaguá, onde permaneceu à disposição da Justiça.

· Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Publicidade

· Compartilhe esta notícia no Telegram

A outra envolvida no caso, Bruna Regina dos Santos Amador, foi presa no dia 19 de janeiro. Isso porque ela também se feriu durante o ataque.

Publicidade

Relembre o caso

Duas mulheres sofreram queimaduras de 2º grau, após uma delas se banhar com um líquido inflamável em um bar em Cotia, na região metropolitana de São Paulo, na manhã de 13 de janeiro. Uma delas era Juniele Rocha Silva Monteiro, de 27 anos, que discutia com as atendentes do estabelecimento.

Um circuito de segurança registrou o ocorrido no Point das Meninas, localizado na estrada dos Fischer's, por volta das 9h.

As imagens mostram o momento em que uma das vítimas, vestindo uma camiseta listrada e short preto, aparentemente embriagada, pega o galão de cima de um tambor de metal e derrama sobre si mesma.

A outra mulher, de calça jeans, não demonstra tentar impedi-la, porém retira o recipiente de suas mãos após o feito. Elas parecem discutir por alguns segundos, mas a moça, molhada, dança sem nenhuma preocupação.

Depois de pegar a embalagem, a segunda mulher a entrega a uma funcionária do bar, que está atrás do balcão. A moça de calça jeans, então, pega um isqueiro na mesa e ameaça atear fogo na colega.

Logo em seguida, a funcionária do bar toma o objeto das mãos da cliente e acende a chama no chão, bem no local onde a mulher derramou o líquido ao se banhar.

Rapidamente, o fogo se alastra para o corpo de ambas as clientes. Elas, então, saem correndo desesperadamente. A moça de calça jeans até tira a roupa na tentativa de apagar as chamas. A outra mulher, que está com o corpo completamente incendiado, corre sem rumo. O vídeo acaba antes de o fogo ser extinto.

O Águia do Grupamento Aéreo 6 da PM esteve no local, e a mulher de 27 anos ficou com 80% do corpo queimado. Ela sofreu queimaduras de segundo grau em todo o corpo — braços, pernas e tronco, além das vias aéreas. Ela foi socorrida e encaminhada ao pronto-socorro do Hospital das Clínicas.

A segunda vítima, de 40 anos, também sofreu queimaduras de segundo grau, mas apenas nos braços. Ela estava consciente e recusou atendimento médico.

Assista ao vídeo do caso:

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.