São Paulo Suspeito de atirar contra funcionário de bar após assédio a garçonete é policial militar de folga

Suspeito de atirar contra funcionário de bar após assédio a garçonete é policial militar de folga

Agente se apresentou no local de trabalho e foi detido em São Paulo; vítima permanece internada, com quadro estável

  • São Paulo | Isabelle Gandolphi e Letícia Assis, da Agência Record

Homem suspeito de atirar contra funcionário de bar é policial militar

Homem suspeito de atirar contra funcionário de bar é policial militar

Arquivo Pessoal

O homem suspeito de atirar contra o funcionário de um bar, de 29 anos, após ele ter defendido uma garçonete que foi assediada, é um policial militar que estava de folga. O crime aconteceu na rua Cavazzola, no Itaim Bibi, área nobre da zona oeste de São Paulo, por volta das 21h deste domingo (12).

De acordo com a investigação, o autor é um cabo da Policial Militar, que estava de folga e usava trajes civis. Após o ocorrido, o agente se apresentou em seu local de trabalho e foi submetido aos procedimentos jurídicos no 96° DP do Brooklin.

A vítima foi socorrida e encaminhada em estado grave ao Hospital Universitário, onde permanece internada, com quadro estável. O homem se recusou a passar mais informações sobre o estado de saúde.

A garçonete, a segurança e o gerente do estabelecimento foram encaminhados ao 27º Distrito Policial do Campo Belo, onde o caso foi registrado como tentativa de homicídio.

Relembre o acontecido

undefined

De acordo com a vítima do assédio, que preferiu não se identificar, ela estava atendendo diversos clientes quando um homem, que estava na companhia de outras duas pessoas, a agarrou. Após ter passado a mão em sua cintura, o assediador pediu para anotar "um selinho em sua conta". Em resposta, a garçonete disse que "anotaria um soco".

Depois do episódio de assédio, a mulher foi até sua supervisora e relatou o ocorrido. Imediatamente, a mulher decidiu encerrar as comandas do grupo e solicitar sua retirada. Após ter sido comunicado, o homem responsável pelo assédio aceitou a decisão, mas um de seus amigos se recusou a deixar o estabelecimento.

Ao perceber que o cliente demonstrava um comportamento agressivo, a garçonete chamou uma segurança do bar. Quando chegou perto do grupo, a mulher recebeu um soco na boca dado pelo homem que se recusava a ir embora.

Para conter a situação, uma pessoa deu um mata-leão no homem alterado. Após ter se acalmado, ele pagou sua conta e disse que iria embora, mas passou a ameaçar os funcionários do local.

Após a confusão, homem voltou armado e atirou em funcionário do bar, na zona oeste de SP

Após a confusão, homem voltou armado e atirou em funcionário do bar, na zona oeste de SP

Reprodução/ Record TV - 13.02.2023

Pouco tempo depois, o suspeito retornou armado e disparou contra o homem que ele acreditava ter sido o responsável pela imobilização. A vítima levou três tiros na região da cabeça.

Últimas