Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Uso de máscaras no transporte público volta a ser obrigatório amanhã em SP

Medida vale para transportes administrados pelo estado, como o Metrô e a CPTM, e ônibus municipais em SP. Crescimento de internações começa a pressionar os sistemas de saúde

São Paulo|Do R7

Máscara volta a ser obrigatória em ônibus
Máscara volta a ser obrigatória em ônibus Máscara volta a ser obrigatória em ônibus

Após alta de casos de Covid-19, o Governo do estado e a Prefeitura de São Paulo decidiram retomar a obrigatoriedade do uso de máscara no transporte público a partir deste sábado (26), seguindo análise técnica do Conselho Gestor da Secretaria Estadual de Ciência, Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde. Um decreto com a nova regulamentação seria publicado no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (25).

O governo recomendou que a medida seja adotada por todos os municípios do Estado e reitera que é fundamental que a população esteja com o ciclo vacinal completo para assegurar maior proteção contra o novo coronavírus. A medida abrange órgãos de transporte estaduais, como o Metrô e a CPTM, além dos ônibus municipais em São Paulo.

Em setembro, a obrigatoriedade havia sido encerrada após quase dois anos de uso compulsório no transporte público.

O governo destacou que a única forma de amenizar os efeitos do vírus é garantir a imunização com as doses que estão disponíveis em todos os postos de saúde do Estado.

Publicidade

Em nota, o Conselho Gestor destacou que, nos últimos 14 dias, as internações por Covid-19 em leitos de enfermaria e UTI cresceram 156% e 97,5%, respectivamente, chegando a uma média diária de mais de 400 novas internações.

"A velocidade de aumento de internações (5% ao dia para pacientes em UTI e 7% por dia para pacientes em enfermarias) e taxas de ocupação de leitos de UTI (44% no Estado de São Paulo e 59% na Região Metropolitana de São Paulo) é acentuada e começa a pressionar os sistemas de saúde público e privado".

Publicidade

Circulam atualmente diversas subvariantes da variante Ômicron, ainda com predominância da subvariante BA.5 e crescimento progressivo da casos relacionados à subvariante BQ1. As internações referem-se principalmente a pacientes mais idosos e/ou com comorbidades/imunodeprimidos, mais vulneráveis a descompensações e complicações relacionadas à infecção pelo Sars-Cov-2, o que permite prever aumento de óbitos nas próximas semanas.

O Conselho Gestor da SCPDS apresenta as seguintes recomendações:

Publicidade

— Reforçar com maior ênfase a necessidade de que todos os adultos com mais de 18 anos recebam as doses de reforço das vacinas — ainda são 10 milhões de adultos que não tomaram a primeira dose de reforço e 7 milhões sem a segunda dose de reforço — e a necessidade de aumentar a cobertura vacinal de crianças e adolescentes. Tem sido observado aumento de internações nesse grupo populacional e a vacinação é necessária e segura para proteger crianças e adolescentes.

— Reforçar a necessidade de disponibilidade de tratamento com antivirais a pessoas com Covid-19 com sintomas leves ou moderados, especialmente nos grupos vulneráveis para evitar quadros graves que possam levar a internação e eventualmente a perda de vidas.

— Reiterar a recomendação de volta da obrigatoriedade de utilização de máscaras em situações de maior risco de transmissão do vírus, notadamente no transporte público, e reforçar a necessidade de uso obrigatório de máscaras em serviços de saúde, incluindo farmácias, onde há maior probabilidade de pessoas sintomáticas procurarem testagem e medicamentos sintomáticos para quadros gripais.

— Recomendar o uso de máscara para os grupos populacionais mais vulneráveis, incluindo os mais idosos e pessoas com comorbidades.

O conselho permanece monitorando a pandemia e poderá se manifestar na medida em que haja necessidade de saúde pública.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.