Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Com R$ 10 por mês e boa escovação é possível evitar a cárie, garantem especialistas

Conheça os sinais da principal doença bucal do País, mas aposte na prevenção

Saúde|Fabiana Grillo e Vanessa Sulina, do R7

Escova, pasta de dente e fio dental ajudam a prevenir cárie
Escova, pasta de dente e fio dental ajudam a prevenir cárie Escova, pasta de dente e fio dental ajudam a prevenir cárie

Escova, pasta de dente e fio dental são os três aliados essenciais para deixar os dentes livres da principal doença bucal que atinge os brasileiros, a cárie. Com investimento de R$ 10 por mês nos três produtos, combinados com escovação correta, é possível evitar a doença. E, consequentemente, poupa-se de ter um gasto de R$ 100 (média) por dente para fazer o tratamento, garantem os especialistas entrevistados pelo R7.

Na boca, há uma bactéria que se alimenta dos açúcares ingeridos na alimentação para sobreviver. Como resultado dessa metabolização, o “bichinho” libera um ácido que “desmineraliza os dentes” e, como consequência, forma a cárie, conforme explica a cirurgiã-dentista e professora de odontologia Elaine Cristina Escobar. Ela alerta que a cárie não é transmissível.

— Só o açúcar ou só a bactéria não vão provocar a cárie. Quem terá a doença é aquele indivíduo suscetível e que não higieniza adequadamente os dentes.

De acordo com a especialista, os primeiros sinais da cárie são manchas brancas no dente, que podem progredir para amareladas, e até mesmo sinais de cor marrom.

Publicidade

— Depois, aparece a cavidade de cárie, quando se torna necessária a restauração do dente. Na fase da mancha branca, o tratamento é mais simples, pois basta remineralizar o esmalte com o flúor. Já quando existe a cavidade, a cárie deve ser removida e a estrutura dental que foi removida será substituída pela resina. Se não for tratada, a cárie progride ainda mais, atinge a polpa do dente e gera a dor. Nesse caso, já é necessário tratamento de canal ou até a confecção de prótese dentária.

Falta de higiene bucal pode causar parto prematuro, alertam especialistas

Publicidade

Dado do mais recente estudo do Ministério da Saúde, realizado em 2010, mostra que a maioria dos adultos brasileiros “busca o dentista para realizar tratamento” e não para prevenir o problema.

Por isso, em muitos casos, a pessoa só percebe que está com dentes cariados quando a dor aparece e, só por conta disso, procura o especialista, alerta a professora de odontologia da USP (Universidade de São Paulo) Maria Salete Nahás Pires Corrêa.

Publicidade

— A pessoa deve procurar o dentista antes de sentir dor como forma de prevenir o aparecimento da cárie. Quando o incômodo aparece, o dente já está lesionado e o tratamento é inevitável.

O odontopediatra e presidente da ABO (Associação Brasileira de Odontopediatria), Paulo César Rédua, afirma que a visita ao dentista deve ser realizada de seis em seis meses. A consulta preventiva aliada à higiene adequada realizada em casa vai garantir a saúde e a manutenção dos dentes.

— Crianças que passam o dia em escolinha, por exemplo, devem ir ao dentista a cada quatro meses e as mães devem priorizar a escovação antes de dormir, já que não acompanham a higiene bucal do dia-a-dia.

“Mau hálito pode provocar separação e até problemas no trabalho”, avisa dentista

Dados da pesquisa realizada em 2010 pelo Ministério da Saúde mostra que 18% dos adolescentes de 12 anos nunca foram ao dentista no Brasil. Ainda de acordo com o levantamento, 37,8% dos adolescentes, da mesma idade, sofreram reflexo da falta de condições bucais em sua vida diária. Entre os principais impactos, foram relatados dificuldades para comer, incômodo para escovar os dentes, nervosismo ou irritação e vergonha para sorrir. O quadro também foi semelhante entre jovens de 15 a 19 anos e entre os adultos na faixa etária de 35 a 44 anos, a maioria também apresentou algum problema.

Só açúcar é culpado?

Apesar de ser visto como grande vilão da cárie, Maria Salete explica que não é “só o açúcar o problema” e sim a frequência da ingestão de alimentos adocicados associados à falta de higiene.

Como o perigo não está apenas na quantidade de doces, o odontopediatra reforça que “o recomendado é comer na hora certa”.

Cárie precisa ser tratada, pois poderá evoluir até a perda do dente
Cárie precisa ser tratada, pois poderá evoluir até a perda do dente Cárie precisa ser tratada, pois poderá evoluir até a perda do dente

— Comer várias vezes ao dia faz mal aos dentes porque o açúcar diminui o pH [grau de acidez] da saliva e quando ele está baixo, ou seja, mais ácido, propicia o ambiente ideal para a formação de placa bacteriana.

Portanto, a orientação é escovar os dentes sempre após as refeições e caprichar na limpeza antes de dormir, porque neste período a língua está em repouso e não há secreção salivar para fazer a limpeza mecânica da boca, segundo Rédua.

— Não é o tipo de escova de dente que impede a cárie, mas a qualidade da escovação.

Cárie pode provocar perda do dente

Cárie não tratada pode evoluir para um problema de canal (quando afeta a parte interna do dente) e até mesmo a perda do dente, lembra a dentista Juliana Thompson. Além disso, a bactéria causadora do problema “pode cair na corrente sanguínea e atingir outros órgãos do corpo, como o coração”, causando uma doença conhecida como endocardite bacteriana.

— Embora raro, é possível que a bactéria se espalhe para outros órgãos do corpo. Se chegar ao coração, a bactéria poderá desencadear algum problema ou agravar a situação, especialmente para quem tem pré-disposição genética a doenças cardíacas.

Bebê também necessita de cuidados

Durante a primeira infância, principalmente até a idade de 24 meses, a dieta do bebê depende exclusivamente dos pais. A introdução precoce e incorreta do açúcar pode levar a um caminho complicado para o futuro dos dentes, afirma a professora da USP Maria Salete.

— Uma mãe que não é orientada sobre o uso do açúcar para o bebê poderá provocar o aumento no risco da criança desenvolver cárie no futuro. O aleitamento [materno] é um dos fatores determinantes, talvez o mais forte, para o desenvolvimento da cárie.

Por isso, a higienização é fundamental mesmo sem a presença dos dentes. A orientação dos especialistas é que, após cada mamada, a gengiva do bebê seja limpa com uma gaze úmida ou com o uso de dedeira. Esta atitude é uma maneira de acostumar os pequenos aos cuidados bucais.

No caso das crianças que já têm os primeiros dentinhos, a atenção deve ser redobrada, especialmente se o leite for industrializado, já que a bebida pode fermentar na boca e descalcificar os dentes, provocando a chamada "cárie de mamadeira".

Atenção: falta de higiene bucal pode piorar o diabetes

Por isso, a orientação à gestante feita pelo odontopediatra é fundamental para que a mãe conheça este tipo de doença.

— Nas crianças entre 3 e 12 anos de idade, por exemplo, a cárie se desenvolve por causa do abuso no consumo de produtos com açúcar, como balas, chicletes, refrigerantes, bolachas e doces. Além disso, falta controle na higiene correta.

Assim, antes de driblar o choro oferecendo um "docinho" pense mil vezes nas consequências que esta simples atitude pode representar no futuro do seu filho. E lembre-se de que apenas três itens (escova, creme dental e fio) são suficientes para prevenir a doença bucal mais comum dos brasileiros.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.