Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Cresce proporção de crianças hospitalizadas pela Covid-19

Faixa etária passou a corresponder por 8,5% do total das internações pela doença entre 17 de julho e 10 de setembro

Saúde|Do R7

Número de hospitalização de crianças de até cinco anos aumentou
Número de hospitalização de crianças de até cinco anos aumentou Número de hospitalização de crianças de até cinco anos aumentou (Marcelo Oliveira/EFE - 21.3.2021)

Aumentou a proporção de crianças menores de cinco anos entre os hospitalizados pela Covid-19, segundo levantamento do Observa Infância, da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). Entre 17 de julho e 10 de setembro de 2022 crianças menores de cinco anos passaram a responder por 8,5% do total das internações pela doença.

Entre 2 de janeiro e 18 junho esse grupo representava 5,6% das hospitalizações por complicações da doença.

Embora as crianças não estejam entre os grupos de maior risco para o novo coronavírus, especialistas apontam que há possibilidade de sequelas e mortes nos casos pediátricos. Entre os mais novos, a Coronavac já foi aprovada para o grupo de 3 e 4 anos, mas as taxas de procura têm sido baixas – menos de 3%.

Leia também

Já para a faixa entre 6 meses e 3 anos, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou o imunizante da Pfizer em setembro, mas ainda não há previsão do governo federal de compra e distribuição do produto para esse público.

Publicidade

Em janeiro, as internações de crianças e adolescentes em leitos de UTI pelo coronavírus no estado haviam aumentado 61% nos últimos dois meses, atingindo ocupação de leitos pediátricos de 60%. Foi somente naquele mês que teve início a imunização da faixa etária de 5 a 11 anos, quase trinta dias após a vacina da Pfizer para este grupo ser liberada pela Anvisa.

Como o Estadão mostrou, o estoque baixo, a desinformação (que motiva desconfiança dos pais sobre a eficácia e a segurança da vacina) e a falta de empenho do governo Jair Bolsonaro atrapalharam o avanço da imunização infantil em vários momentos do ano.

Publicidade

Ao longo da crise sanitária, o presidente colocou em xeque o papel dos imunizantes várias vezes e chegou a dizer que não daria o produto a sua filha de 11 anos.

Procurado pela reportagem, o Ministério da Saúde informou que a vacinação para as crianças com menos de 3 anos será analisada pela CTAI Covid-19 (Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19), considerando as evidências científicas e cenário epidemiológico.

Publicidade

"Havendo aprovação para inclusão deste público, as vacinas serão disponibilizadas para todo o Brasil, como já ocorre com as demais faixas etárias", diz a nota.

No estado de São Paulo, cerca de 140 mil crianças de 3 e 4 anos com comorbidades receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19, e 10,9 mil delas completaram o esquema vacinal, recebendo também a dose de reforço.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, a imunização desse grupo será ampliada a partir desta sexta-feira (30) com uma quantidade de 2 milhões de doses de Coronavac doadas pelo Instituto Butantan.

"É importante destacar que as vacinas aprovadas pela Anvisa são seguras e eficazes", diz um comunicado.

Em junho, quando as crianças com menos de cinco anos ainda não contavam com vacina aprovada para sua faixa etária, o Observa Infância divulgou pesquisa que indicava que, desde março de 2020, em média duas crianças morriam por dia por causa da doença no país. Hoje, essa média é de uma criança por dia.

Veja os sete cuidados com a saúde do adolescente que merecem atenção especial dos pais

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.