Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Ministério identifica 16 casos de reações alérgicas à vacina da dengue em 365 mil doses aplicadas

Pasta reforçou segurança do imunizante; Brasil já registra 1,3 milhão de casos de dengue e 343 mortes em 2024

Saúde|Edis Henrique Peres, do R7, em Brasília

Segundo a pasta, todas as pessoas se recuperaram
Segundo a pasta, todas as pessoas se recuperaram Segundo a pasta, todas as pessoas se recuperaram (Edis Henrique Peres/R7)

O Ministério da Saúde identificou 16 casos de reações alérgicas graves nas 365 mil doses de vacina contra a dengue já aplicadas no país. Segundo a pasta, todas as pessoas se recuperaram, estão bem e não foram hospitalizadas. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (8) em coletiva de imprensa.Segundo a Ministra da Saúde, Nísia Trindade, é unanimidade no comitê técnico que "os benefícios da vacinação representam muito mais ganhos que os riscos da imunização".

"Além do Brasil, outros países do mundo também adotam a vacina, como países da União Europeia e o Reino Unido. Vale destacar que todas as pessoas estão recuperadas", disse ela.

Com a identificação dos casos de alergia do sistema de fármaco vigilância do Brasil, o ministério publicou uma nota técnica com orientações sobre a vacinação. Pacientes devem, por exemplo, evitar a vacinação com mais de um imunizante no mesmo dia e informar, na segunda dose, se tiveram alguma reação ao tomar a primeira aplicação. A equipe do ministério também estabeleceu um fluxo de investigação dos casos iniciais para identificar o motivo das reações.

Diretor do Programa Nacional de Imunização, Eder Gatti detalhou que das 365 mil doses, 250 mil foram aplicadas pelo SUS e que as demais são da rede privada. "Tivemos 529 notificações de casos moderados, graves e erros de vacinação. 80% deles são considerados leves, sendo que delas, 70 foram reações alérgicas", disse.

Segundo Eder, foram detectados 28 casos de hipersensibilidade imediata, 11 reações locais (vermelhidão no ponto de vacinação) e 10 casos de urticárias. "O sistema de fármaco vigilância vai continuar analisando os dados para amadurecer as informações, mas é necessário deixar claro o compromisso com a vacinação e que a imunização é segura", disse.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.