Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Conheça o maior parque de cirurgia robótica da América Latina

Os 23 robôs da Rede D’Or possibilitam cirurgias mais seguras e com máxima precisão nos movimentos

Rede DOr|Do R7 Conteúdo e Marca

O Vila Nova Star é uma das principais referências em cirurgias robóticas na América Latina
O Vila Nova Star é uma das principais referências em cirurgias robóticas na América Latina O Vila Nova Star é uma das principais referências em cirurgias robóticas na América Latina

Antes considerada ficção científica, atualmente a interação entre seres humanos e máquinas faz parte do nosso dia a dia. E isso acontece na medicina brasileira também: recentemente a Rede D´Or investiu R$ 200 milhões em tecnologia robótica e a prática vem ganhando espaço em centros cirúrgicos de todo o país.

Ao todo, foram adquiridos 17 novos robôs de quarta geração – que se juntaram à atualização de outros 6 que já eram de posse da rede. O investimento faz da Rede D’Or a detentora do maior e mais avançado parque de cirurgia robótica da América Latina. 

“Cerca de 20% do parque robótico do país é da Rede D’Or”, diz Carlos Eduardo Domene, cirurgião do aparelho digestivo e coordenador médico do Programa de Cirurgia Robótica da instituição.

Conheça a tecnologia

Publicidade

Minimamente invasiva, a cirurgia robótica de quarta geração é conduzida por cirurgiões extremamente habilidosos e qualificados, que operam com maior segurança e altíssima precisão. Para os pacientes, ampliam-se as possibilidades de tratamento e o tempo de internação após cirurgia é reduzido.

Os robôs contam com quatro braços mecânicos e são equipados com diferentes instrumentos cirúrgicos, além de uma câmera. Há ainda robôs com recursos integrados – entre eles, braços mais finos e de longo alcance, maior mobilidade com a rotação em 360° e imagens em resolução 3D HD.

Publicidade
Robô cirurgião Da Vinci é uma das principais inovações tecnológicas da Rede D´Or
Robô cirurgião Da Vinci é uma das principais inovações tecnológicas da Rede D´Or Robô cirurgião Da Vinci é uma das principais inovações tecnológicas da Rede D´Or

O robô consegue reproduzir em tempo real os comandos do cirurgião que, sentado à distância, controla os movimentos com uma visão tridimensional 10 vezes ampliada.

“Com o braço robótico é possível fazer incisões menores, estabilizar tremores, além de garantir maior alcance e amplitude dos movimentos. Consigo operar com máxima precisão e delicadeza, enxergando detalhes que não são nítidos nem mesmo na cirurgia laparoscópica”, explica Domene.

Publicidade

Pelo alto nível de segurança, a cirurgia robótica vem se consolidando como padrão ouro de tratamento de tumores e muitas outras doenças em especialidades médicas como urologia, ginecologia e cirurgia bariátrica e do aparelho digestivo.

Um dos precursores da implantação das cirurgias robóticas na Rede D’Or, o urologista Rodrigo Frota, comenta sobre a qualidade de vida do paciente a partir desse tipo de cirurgia. “Comparada a outras técnicas, como a convencional e a laparoscópica, por exemplo, a cirurgia robótica é mais segura para o paciente e apresenta melhores resultados funcionais. ”

A adesão à cirurgia robótica é tamanha que a Rede D´Or já contabiliza aproximadamente 22 mil procedimentos do tipo.

As cirurgias robóticas, com o avanço da tecnologia, estão se tornando cada vez mais frequentes
As cirurgias robóticas, com o avanço da tecnologia, estão se tornando cada vez mais frequentes As cirurgias robóticas, com o avanço da tecnologia, estão se tornando cada vez mais frequentes

O cirurgião geral Antonio Macedo é um dos maiores especialistas em cirurgia robótica, além de defensor da ferramenta. Desde 2008, ele já realizou cerca de 1.500 cirurgias com robôs. “O domínio dessa tecnologia nos possibilita realizar cirurgias de altíssima complexidade, com menos desconforto e rápida recuperação do paciente”, explica.

Em 2019, Antonio Macedo escolheu o hospital Vila Nova Star para fazer seus procedimentos. “É um centro cirúrgico de altíssima qualidade. Hoje é o melhor do Brasil e de todos os centros cirúrgicos nos quais já trabalhei, dentro e fora do país. ”

De acordo com Carlos José Saboya, cirurgião do aparelho digestivo e professor do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR), para atingir esse grau de qualidade, a Rede D’Or vem mantendo os treinamentos seguindo o que há de mais moderno e eficaz na área médica.

“A Rede D’Or e o IDOR treinaram mais de 500 cirurgiões seguindo as determinações da AMB, CBC, CBCD e outras entidades reguladoras, sempre visando a segurança dos pacientes. Hoje, podemos afirmar que o programa de cirurgia robótica da Rede Dor atingiu seu nível de excelência”, comenta.

Tecnologia que transforma vidas

Sérgio Watson Filho, de 65 anos, tinha uma grave doença pulmonar, dependia de um cilindro de oxigênio para sobreviver e se cansava até mesmo durante uma simples conversa em repouso. Após a cirurgia realizada pelo médico Tiago Machuca no Hospital Copa Star, o paciente pôde deixar a unidade caminhando, finalmente, sem o auxílio do oxigênio, e hoje sua história serve como motivação para outros pacientes que sofrem de enfisema pulmonar.

Sérgio Watson aproveita sua recuperação passeando com seu cachorro na orla da praia.
Sérgio Watson aproveita sua recuperação passeando com seu cachorro na orla da praia. Sérgio Watson aproveita sua recuperação passeando com seu cachorro na orla da praia.

Quando ocorre a união de cirurgiões habilidosos e robôs de ponta, o maior beneficiado é o paciente.

Conheça a Rede D´Or.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.