Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

China quer utilizar solo lunar para construir bases na Lua ainda nesta década

Especialistas chineses se reuniram em conferência para discutir como construir uma infraestrutura no satélite natural

Tecnologia e Ciência|

Os chineses pretendem passar longos períodos no satélite natural
Os chineses pretendem passar longos períodos no satélite natural Os chineses pretendem passar longos períodos no satélite natural

A China quer começar a construir uma base lunar usando o solo do satélite natural em cinco anos, informou a mídia chinesa, com o ambicioso plano começando ainda nesta década.

Mais de 100 cientistas, pesquisadores e engenheiros espaciais chineses se reuniram recentemente em uma conferência na cidade de Wuhan, no centro da China, para discutir maneiras de construir infraestrutura na Lua, informou a mídia local.

Ding Lieyun, um especialista da Academia Chinesa de Engenharia, disse que uma equipe está projetando um robô chamado "Chinese Super Masons" para fazer tijolos do solo lunar, de acordo com o Changjiang Daily.

"Construir um habitat na Lua é necessário para explorações lunares de longo prazo e certamente será realizado no futuro", disse Ding, embora reconheça a dificuldade de alcançá-lo no curto prazo, de acordo com o relatório.

Publicidade

O robô encarregado de fazer o "tijolo de solo lunar" será lançado durante a missão chinesa Chang'e-8 por volta de 2028, disse Ding, acrescentando que o país pretende recuperar a primeira amostra de solo do lado mais distante da Lua do mundo em um missão por volta de 2025.

A China já havia recuperado amostras de solo do lado mais próximo da Lua com sua missão Chang'e-5 em 2020, informou a mídia estatal.

Publicidade

O país declarou que deseja que seus astronautas permaneçam no satélite natural por longos períodos, uma vez que estabeleça uma estação de pesquisa lunar.

Ding e dezenas de especialistas participaram da Conferência de Construção Extraterrestre realizada na Universidade de Ciência e Tecnologia de Huazhong, em Wuhan, no fim de semana passado.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.