Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Tecnologia e Ciência
Publicidade

Chuva de meteoros Táuridas do Sul tem pico na noite desta sexta-feira

Observador deve deslocar-se para um local afastado das luzes da cidade e olhar atentamente para o céu em todas as direções

Tecnologia e Ciência|Sofia Pilagallo*, do R7

Nas condições ideais, será possível visualizar, no máximo, até cinco meteoros por hora
Nas condições ideais, será possível visualizar, no máximo, até cinco meteoros por hora Nas condições ideais, será possível visualizar, no máximo, até cinco meteoros por hora

A chuva de meteoros Táuridas do Sul, visível para pessoas de todas as partes do Brasil, terá seu pico na noite desta sexta-feira (5), mais especificamente a partir das 20h. Neste horário, a constelação de Touro, que é o radiante da chuva, ou seja, o ponto no céu da onde os meteoros parecem surgir, já estará em uma posição bem alta no céu, o que proporcionará uma melhor visibilidade aos observadores.

Segundo o astrônomo Cássio Barbosa, do Centro Universitário FEI, é importante lembrar que, embora o radiante do fenômeno seja a Constelação de Touro, a orientação é olhar atentamente para o céu como um todo, uma vez que os rastros luminosos podem ser vistos em qualquer direção. Vale ir para um lugar afastado das luzes da cidade, como uma chácara ou um sítio, e reclinar-se em uma cadeira de praia, de modo a obter o maior campo de visão possível.

"É importante também atentar para as condições atmosféricas da sua cidade, uma vez que para a acompanhar a chuva, é necessário que o céu esteja limpo, isto é, sem nuvens. Em São Paulo, por exemplo, deve haver nebulosidade durante a noite, mas não chove", afirma.

"Outra questão que vale destacar é que a Lua deve estar fora do campo de visão, ou seja, abaixo da linha do horizonte. Nesse quesito, teremos sorte, pois o astro irá se pôr junto com o Sol, por volta das 18h de sexta, e nascer somente na manhã de sábado", completa.

Publicidade

Leia também: Astronauta da Nasa explica como faz para lavar o cabelo no espaço

Nas condições ideais — e seguindo todas as orientações —, Barbosa garante que será possível visualizar, no máximo, até cinco meteoros por hora, uma chuva considerada de baixa intensidade.

Publicidade

A boa notícia é que, além da Táuridas do Sul, os observadores poderão ver também rastros luminosos de outras duas chuvas no céu: a Táuridas do Norte e a Oriônidas. Enquanto a primeira teve início em 25 de setembro e terá seu pico no próximo dia 12 de novembro, a segunda começou em 2 de outubro e já teve seu período de maior visiblidade, que ocorreu em 22 do mês passado.

O que é um meteoro?

Meteoro, popularmente chamado de estrela cadente, é um fenômeno que se caracteriza pela passagem de um meteoroide pela atmosfera terrestre. Meteoroides, por sua vez, são fragmentos de cometas ou asteroides, que se desprendem desses corpos celestes e ficam vagando pelo espaço em órbitas em torno do Sol.

Publicidade

Leia também: Saiba as diferenças entre cometas, asteroides, meteoros e meteoritos

No caso da Táuridas do Sul, o astro que dá origem à chuva é o cometa Encke, o segundo cometa periódico descoberto após o famoso cometa Halley. Com um período orbital de 1.204 dias, o corpo celeste fará sua próxima aproximação ao Sol em 2023.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.