Tecnologia e Ciência Tumba pré-inca de homem da elite peruana revela tesouros arqueológicos de mais de mil anos

Tumba pré-inca de homem da elite peruana revela tesouros arqueológicos de mais de mil anos

Pesquisadores tiveram de cavar por dois meses para chegar até o material que estava a sete metros de profundidade

AFP
Arequeólogos trabalham na área em que foi descoberta a tumba pré-inca

Arequeólogos trabalham na área em que foi descoberta a tumba pré-inca

NATIONAL UNIVERSITY OF SAN MARCOS - 21.05.2023

A tumba de um hierarca da cultura pré-colombiana Chancay, entre 1.200 a 1.470 anos de antiguidade, foi encontrada por um grupo de arqueólogos na costa norte de Lima, informou um dos pesquisadores neste domingo (21).

"Encontramos, a sete metros de profundidade, a tumba de um personagem de elite de mais de 1.000 anos de antiguidade da cultura pré-inca Chancay", disse à AFP o arqueólogo Pieter Van Dalen.

A descoberta ocorreu esta semana no sítio arqueológico funerário Macatón, na província de Huaral, cerca de 75 km ao norte de Lima.

Os pesquisadores tiveram que cavar cuidadosamente a terra por dois meses para encontrar a tumba deste personagem importante da cultura Chancay.

Para Van Dalen, se trataria de um personagem principal ou curaca (líder) da cultura Chancay, devido às grandes dimensões da tumba, com sete metros de profundidade por sete de largura, sendo o maior fardo já encontrado no sítio arqueológico de aproximadamente 50 hectares.

"O curaca de Macatón era um personagem que, segundo os materiais associados à sua tumba, teria se dedicado à atividade pesqueira", afirmou Van Dalen, que sustenta sua teoria pelo remo de madeira, encontrado dentro da tumba.

VIDA APÓS A MORTE
Junto da tumba do curaca de Macatón, foram encontradas outras cinco pessoas, entre crianças e adultos.

Também foram achadas grandes vasilhas de cerâmica, com figuras de animais e os restos de quatro lhamas. As vasilhas, nas cores marrom e creme, continham restos de peixes, milho e preás, que eram oferendas para os mortos na antiguidade.

Objeto encontrado na tumba que foi descoberta por arqueólogos peruanos

Objeto encontrado na tumba que foi descoberta por arqueólogos peruanos

NATIONAL UNIVERSITY OF SAN MARCOS - 21.05.2023

"Os Chancay acreditavam muito na vida após a morte. O defunto, por sua importância na sociedade, quando falecia, não morria. Sua existência não terminava aí, mas se tornava um ancestral, um mallqui (múmia)", explicou o professor da Universidade Nacional Mayor de San Marcos.

"Depois de morto, o personagem se tornava um guardião e protetor de sua família e de sua comunidade", acrescentou.

Entre janeiro e maio foram encontrados no sítio arqueológico 35 contextos funerários ou tumbas.

A cultura pré-inca Chancay se desenvolveu nos vales de Fortaleza, Pativilca, Supe, Huaura, Chancay, Chillón, Rímac e Lurín, na costa central do Peru, entre os anos 1200 e 1470.

Em Lima, capital peruana com 10 milhões de habitantes, há mais de 500 sítios arqueológicos, entre os quais se destacam dezenas de "huacas", centros cerimoniais construídos pelos antigos habitantes, especialmente com adobe.

Últimas