Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Caravana de Lula cancela passagem por Guarapuava

PT justificou medo de novos ataques contra o ex-presidente da República. Visita a Curitiba, ainda nesta quarta-feira, está mantida

Brasil|

Caravana de Lula cancelou passagem por Guarapuava
Caravana de Lula cancelou passagem por Guarapuava Caravana de Lula cancelou passagem por Guarapuava

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva cancelou sua passagem por Guarapuava (PR) na manhã desta quarta-feira (28) após o ataque a dois ônibus de sua caravana nesta terça-feira, na estrada entre Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul.

A informação é do diretório municipal do PT de Guarapuava.

'Não sou homem de correr de briga', diz Lula sobre tiros em ônibus

O presidente do partido na cidade, Antenor Gomes de Lima, divulgou um comunicado nas redes sociais afirmando que o cancelamento foi decidido por medo de novos ataques à caravana e para preservar a segurança de Lula.

Publicidade

O petista, contudo, manteve a agenda prevista para Curitiba, às 17h, onde encerra sua caravana pela região.

— A gente evitou que houvesse uma violência maior aqui em Guarapuava. Nos perdoem, a gente tinha que preservar algo maior, que é a segurança dos guarapuavanos e do presidente Lula, que vem sendo ameaçado por esses que têm medo de perder a eleição, disse o presidente do diretório.

Publicidade

Caravana de Lula mudou rota sem avisar polícia, diz secretaria

Em um vídeo no Facebook, Gomes afirma que eleitores do deputado Jair Bolsonaro (PSL), pré-candidato à Presidência da República e que também está no Paraná nesta quarta-feira, vem promovendo ódio durante a passagem de Lula pelo Sul do País.

Publicidade

Em Guarapuava, havia registro da presença tanto de apoiadores quanto de manifestantes críticos ao ex-presidente.

— Lamento informar que devido à emboscada que a caravana do presidente Lula sofreu foi necessário cancelar a passagem por Guarapuava. Lamentamos mais ainda o clima de terrorismo que se instaurou na cidade motivado pelo ódio. Guarapuava, que sempre foi conhecida como cidade acolhedora, ontem e hoje se tornou hostil aos que gostariam de visitá-la, escreveu Gomes.

Jungmann diz que tiros contra caravana de Lula são inaceitáveis

Local dos tiros

Laranjeiras do Sul, local onde os ônibus da caravana de Lula foram alvejados por tiros, é uma pequena cidade de 30.777 pessoas com um grave histórico de violência e está na região mais pobre do Paraná.

Segundo dados do Atlas da Violência 2016, divulgado pelo Ipea, o município registrou uma taxa média de 43,24 homicídios por 100 mil habitantes por ano de 2010 a 2015, enquanto a média nacional foi de 28,65.

Já no Mapa da Violência, que estuda as mortes por armas de fogo no Brasil, Laranjeiras do Sul aparece em 31º lugar no ranking das cidades mais violentas do País, entre 2012 e 2014. Além dos índices de violência, a cidade é sede da região administrada denominada Cantuquiriguaçu, que reúne 20 municípios paranaenses e congrega o menor Índice de Desenvolvimento Humano do Estado.

O total de famílias pobres, aquelas com renda per capita de até meio salário mínimo, chega a 36% na cidade, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Na capital paranaense, onde será o encerramento da caravana, os pré-candidatos à Presidência Manuela Dávila (PCdoB) e Guilherme Boulos (PSOL) confirmaram que estarão com Lula durante o ato, além de parlamentares e dirigentes de PSB, PSOL e PCdoB, segundo o PT.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.