Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Após polêmica por cachê de R$ 800 mil pago por prefeitura, Gusttavo Lima se pronuncia

Contratação do cantor para show em cidade de 8 mil habitantes é investigada pelo MP de Roraima e repercutiu nas redes sociais

Brasília|Hellen Leite, do R7, em Brasília

Gusttavo Lima em show em Porto Velho (RO)
Gusttavo Lima em show em Porto Velho (RO) Gusttavo Lima em show em Porto Velho (RO)

Após ficar no centro de uma polêmica por causa de um contrato no valor de R$ 800 mil pago pela Prefeitura de São Luiz, cidade de Roraima com cerca de 8 mil habitantes, a equipe do sertanejo Gusttavo Lima se pronunciou por meio de nota à imprensa, nesta quinta-feira (26). A apresentação do sertanejo, paga com dinheiro do município, virou alvo de uma investigação do Ministério Público de Roraima.

A nota é assinada pelo advogado Cláudio Bessas, que representa a Balada Eventos, empresa de Gusttavo Lima, e justifica que não cabe ao artista fiscalizar as contas públicas para saber qual a dotação orçamentária que o chefe do executivo está utilizando para custear a contratação. O sertanejo tem o cachê mais alto do Brasil, chegando a cobrar até R$ 1 milhão por show.

"Toda contratação do artista por entes públicos federados são pautados (sic) na legalidade, ou seja, de acordo com o que determina a lei de licitações. Com relação à verba para realização de 'show artístico', cabe ao ente público federado agir com responsabilidade na sua aplicação", diz o texto.

Leia também: Prefeitura de São Paulo paga R$ 100 mil por show de Daniela Mercury em ato pró-Lula

Publicidade

"Qualquer ilegalidade cometida pelos entes públicos, seja na contratação de show artísticos ou qualquer outra forma de contração com o setor privado, deverá ser fiscalizada pelo Tribunal de Contas e, se apurada qualquer ilegalidade, deverá ser encaminhada para a Justiça competente para julgar o ilícito eventualmente cometido", finaliza.

São Luiz tem o segundo menor PIB do estado de Roraima, avaliado em R$ 147,6 milhões. A promotoria quer saber como os recursos foram arrecadados para pagar o evento e se haverá algum tipo de retorno para o município. No total, a vaquejada deve custar R$ 3 milhões aos cofres do município. A Executivo local tem dez dias para enviar as respostas ao Ministério Público.

Publicidade

O prefeito da cidade, James Batista (Solidariedade), justificou que o evento deve trazer benefícios econômicos para a cidade. "O Brasil inteiro está falando sobre São Luiz e isso é muito bom, significa que estamos no caminho certo. Aqui ninguém é maluco ou irresponsável, não brincamos com o dinheiro público, o que existe é planejamento, comprometimento e determinação", comentou.

O evento deve acontecer em dezembro e prevê apresentações de outros artistas, como a dupla Cesar Menotti e Fabiano e a cantora Solange Almeida.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.