Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Bolsonaro afirma que Dom Phillips, desaparecido no AM, era 'malvisto'

Presidente reconheceu que governo não tem tido sucesso na busca por Bruno Pereira e Dom Phillips, sumidos desde o último dia 5

Brasília|Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Jornalista inglês Dom Phillips e o indigenista Bruno Pereira
Jornalista inglês Dom Phillips e o indigenista Bruno Pereira Jornalista inglês Dom Phillips e o indigenista Bruno Pereira

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quarta-feira (15) que o jornalista britânico Dom Phillips, desaparecido na região amazônica com o indigenista Bruno Pereira, era "malvisto" por escrever reportagens contra garimpeiros e que deveria ter "redobrado a atenção". Dom e Bruno estão desaparecidos desde o dia 5 no Vale do Javari, no Amazonas.

"Porque fazia muita matéria contra garimpeiro, questão ambiental. Muita gente não gostava dele. Ele tinha que ter mais que redobrado a atenção para consigo próprio e resolveu fazer uma excursão. Lá tem pirata no rio. Tudo o que se possa imaginar lá", afirmou, em entrevista a Leda Nagle.

Pereira é servidor da Funai, e Phillips é colaborador do jornal The Guardian. Eles foram vistos pela última vez no Vale do Javari, após partirem em uma lancha com destino à cidade amazonense de Atalaia do Norte.

Bolsonaro disse ainda que, caso o indigenista e o jornalista tenham sido assassinados, os corpos estão dentro da água. "Pelo que tudo indica, se mataram os dois, se mataram, e eu espero que não, estão dentro da água. E dentro da água pouca coisa vai sobrar. Peixe come, não sei se tem piranha lá", destacou.

Publicidade

O chefe do Executivo admitiu que o governo não tem tido sucesso nas buscas pelos desaparecidos. "Os dois resolveram entrar numa área completamente inóspita, sozinhos, sem segurança, e aconteceu problema. Desde o primeiro dia estamos buscando essas pessoas lá na região e não estamos tendo sucesso", reconheceu.

Traficante

A Polícia Federal investiga a ligação de um traficante internacional com o desaparecimento do jornalista e do indigenista. Depois da prisão de dois suspeitos, os policiais apuram a participação de pelo menos mais duas pessoas. Uma delas, que seria o mandante, é um traficante de cocaína com forte atuação na rota entre Brasil e Peru.

Publicidade

Com o primeiro detido, Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como Pelado, uma arma de fogo de uso restrito e uma pequena porção da droga foram encontradas. Nesta terça-feira (14), também foi preso Oseney da Costa de Oliveira, chamado de "dos Santos".

Embaixador pede desculpas após erro

O embaixador do Brasil no Reino Unido, Fred Arruda, pediu desculpas à família do jornalista Dom Phillips após a embaixada ter afirmado que o corpo dele e o do indigenista Bruno Araújo haviam sido encontrados na Amazônia. A informação foi desmentida pouco depois pela Polícia Federal. Os dois profissionais seguem desaparecidos desde o dia 5 deste mês.

De acordo com o jornal The Guardian, Fred enviou à família de Phillips uma mensagem em que se desculpava. O irmão e a cunhada do jornalista receberam de um funcionário da embaixada um telefonema com a informação de que os corpos dos profissionais tinham sido encontrados e estavam amarrados em uma árvore.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.