Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Bolsonaro volta ao Brasil nesta quinta e será recepcionado por Michelle, Valdemar e Braga Netto

O encontro vai ocorrer na sede do Partido Liberal, em Brasília; trânsito de veículos será bloqueado na Esplanada dos Ministérios

Brasília|Plínio Aguiar e Bruna Lima, do R7 em Brasília

O ex-presidente Jair Bolsonaro
O ex-presidente Jair Bolsonaro O ex-presidente Jair Bolsonaro

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) retorna ao Brasil na manhã desta quinta-feira (30), por volta de 7h. Em comunicado, o Partido Liberal informou que o ex-chefe do Executivo segue do Aeroporto Internacional de Brasília para a sede da legenda, onde vai se encontrar com correligionários.

Na sede do PL, Bolsonaro será recebido por sua esposa, Michelle Bolsonaro, pelo presidente nacional da legenda, Valdemar Costa Neto e pelo secretário de relações institucionais do partido, general Braga Netto.

“Não está previsto qualquer evento ou fala do ex-presidente. Ele deverá receber cumprimentos de parlamentares do PL e de outras autoridades num espaço reservado dentro do Complexo Brasil 21, com acesso restrito. O encontro será fechado”, diz a legenda.

Como mostrou o blog do Nolasco, o ex-presidente disse que não espera ser recebido com a realização de uma festa. “Não sei o que está sendo programado, desconheço. Pretendo descer [do avião] como um passageiro normal. Pretendo, né? Se vai ter gente ou não, eu não sei. Minha ideia é voltar e viver com normalidade no Brasil”, disse.

Continua após a publicidade

Leia também: Bolsonaro ficou com terceiro conjunto de joias que inclui relógio Rolex de R$ 364 mil

O PL afirmou, ainda, que Bolsonaro vai assumir na próxima semana a função de presidente de honra do partido e deverá despachar normalmente em seu escritório, montado no final do ano passado. A legenda não informou o salário que ex-presidente vai receber.

Bolsonaro viajou para os Estados Unidos com sua esposa e a filha, Laura, um dia antes de terminar o mandato, em 30 de dezembro de 2022. Ele optou por sair do país e não participar da cerimônia de posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que ocorreu em 1º de janeiro.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.