Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Câmara aprova projeto que permite clubes de tiro a menos de 1 km de escolas

Deputados derrubaram partes de decreto assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre restrição ao porte de armas

Brasília|Victoria Lacerda, do R7, em Brasília

Câmara dos Deputados aprova projeto que permite clubes de tiro a menos de 1km de escolas
Proposta suspende parte de um decreto editado pelo presidente (Tânia Rego/Agência Brasil - Arquivo)

Na noite desta terça-feira (28), a Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei que permite a instalação de clubes de tiro a menos de um quilômetro de escolas públicas ou privadas. A proposta suspende partes de um decreto editado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que regulamenta e restringe a aquisição, registro e porte de armas no país.

Entre outros pontos, a medida do governo Lula restringia o acesso de civis às armas e munições de maior potencial ofensivo (calibres de uso restrito) e reduzia os quantitativos de munições que podem ser adquiridos pelos cidadãos.

LEIA TAMBÉM

Na Câmara, o projeto que alterou o decreto presidencial passou em regime de urgência, o que permitiu a votação no plenário sem que o texto tivesse passado antes por comissões, impossibilitando um debate amplo sobre o texto.

Um dos autores do projeto, o deputado Ismael Alexandrino (PSD-GO) explicou que a proposta respeita a macropolítica do governo para o setor, mas foi preciso retirar “exigências excessivas” do decreto, entre elas o distanciamento de estabelecimentos de ensino, pois segundo ele isso “deixaria mais de 90% dos clubes de fora da regra”.

Devido a um acordo, a votação foi simbólica, sem a necessidade de cada deputado registrar seu voto no sistema eletrônico. A única manifestação contrária ao texto, durante a sessão, partiu dos parlamentares do PSOL.

Entenda as mudanças

  • Armas de grosso calibre: O projeto derruba a proibição de colecionar armas de fogo automáticas de qualquer calibre ou longas semiautomáticas de calibre de uso restrito.
  • Armas de uso restrito às Forças Armadas: A proibição não se aplica a armas do mesmo tipo, marca, modelo e calibre usadas pelas Forças Armadas.
  • Armas de pressão por gás comprimido: O projeto invalida a restrição à aquisição de armas de pressão por gás comprimido ou por ação de molas.
  • Renovação de certificados de armas: As exigências para renovação dos certificados das armas e a necessidade de comprovação de efetiva necessidade para aquisição de um armamento são removidas.
  • Distância de escolas: O projeto acaba com a restrição que proibia clubes de tiro a menos de 1 km de estabelecimentos de ensino, públicos ou privados.
  • Propaganda de armas e clubes de tiro: Deixa de haver a imposição de multa por publicidade sobre armas de fogo, tiro esportivo e caça.
  • Armas de colecionador: A competência para definir e classificar armas de coleção passa do Iphan (Instituto do Património Histórico e Artístico Nacional) para o Comando do Exército, o que pode ampliar o número de armamentos legalizados como colecionáveis.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.