Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

'Cenário de guerra', diz estudante que perdeu carro durante atos de vandalismo no DF

Veículo foi depredado e queimado no estacionamento da PF;  jovem afirma que viu o momento em que o automóvel pegou fogo 

Brasília|Karla Beatryz*, do R7, em Brasília

Carro do estudante Gabriel Marques, que foi queimado durante atos de vandalismo no DF
Carro do estudante Gabriel Marques, que foi queimado durante atos de vandalismo no DF Carro do estudante Gabriel Marques, que foi queimado durante atos de vandalismo no DF

O estudante Gabriel Marques, 21 anos, teve o carro depredado e queimado durante os atos de vandalismo que acontecerram na região central de Brasília, na noite da última segunda-feira (12). Ele estava saindo do estágio quando encontrou o carro quebrado por pedras, no estacionamento da sede da Polícia Federal (PF). O jovem diz que o local parecia um cenário de guerra e que presenciou o momento em que atearam fogo em seu veículo. 

Marques é estudante de relações internacionais. Ele contou ao R7 que na noite de segunda-feira esteve presente em um evento online e decidiu permanecer no estágio para participar do projeto. Após deixar o prédio, ele notou a movimentação na rua e encontrou o carro com os vidros quebrados. Segundo o estudante, enquanto aguardava o guincho, a polícia jogou gás lacrimogênio nos manifestantes, o que intensificou as atividades.

Carro de Gabriel Marques depredado antes de ter pegado fogo em manifestação
Carro de Gabriel Marques depredado antes de ter pegado fogo em manifestação Carro de Gabriel Marques depredado antes de ter pegado fogo em manifestação

"Cerca de 5 minutos após ligar para o guincho, as manifestações se intensificaram. Eles [os manifestantes] passaram a jogar pedras e tacar fogo nas coisas. Nessa hora eu vi meu carro pegar fogo junto com outros três veículos", diz. Segundo Marques, ele tentou manter a calma, pois a situação estava fora de controle, e, como os manifestantes estavam agitados, ele ficou com medo de se aproximar.

"Eu fiquei com medo de apanhar, não queria chamar atenção, estava parecendo um cenário de guerra. Quando eu vi que a situação estava ficando fora de controle, voltei para o prédio do meu estágio por precaução, para não acontecer nada comigo. Fiquei lá até a situação melhorar", desabafa.

Publicidade

O carro destruído pertencia ao avô de Gabriel, que faleceu no início do ano. Ele explica que o ocorrido foi uma perda material e emocional. "É um sentimento de perda muito grande, principalmente porque eu era muito apegado ao meu avô e senti muito a perda dele", conta.

Leia também: Secretaria de Segurança diz que ninguém foi preso durante atos de vandalismo em Brasília

Publicidade

Apesar dos atos de vandalismo, a Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP-DF) informa que ninguém foi preso durante as manifestações. Marques afirma que é revoltante que o responsável pelo crime não seja identificado e não responda pelos atos. Segundo a SSP, os atos foram praticados por grupos isolados e estão sendo apurados pela Polícia Civil do Distrito Federal.

Circulação na área Central de Brasília

O governo do Distrito Federal reformou a atuação das forças armadas de segurança na área central de Brasília. O trânsito de veículos na Esplanada dos Ministérios, na praça dos Três Poderes e em outras vias da região central está restrito até segunda ordem.

Publicidade

A recomendação é que os motoristas utilizem as vias S2 e N2, obedecendo a sinalização e orientação das autoridades de trânsito. O acesso à Praça dos Três Poderes também segue restrito.

*Estagiária, sob supervisão de Fausto Carneiro

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.