Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

CPMI cancela reunião que ouviria policial agredida por manifestantes no 8 de Janeiro

A oitiva foi cancelada por causa de uma viagem de última hora da senadora Eliziane Gama (PSD-MA), relatora da CPMI

Brasília|Hellen Leite, do R7, em Brasília

CPMI do 8 de Janeiro: na mesa, Arthur Maia (União-BA), Eliziane Gama (PSD-MA) e Sergio Moro (União-PR)
CPMI do 8 de Janeiro: na mesa, Arthur Maia (União-BA), Eliziane Gama (PSD-MA) e Sergio Moro (União-PR) CPMI do 8 de Janeiro: na mesa, Arthur Maia (União-BA), Eliziane Gama (PSD-MA) e Sergio Moro (União-PR)

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de Janeiro, que investiga ações e omissões durante os atos extremistas no começo de 2023, cancelou a reunião que estava prevista para esta quinta-feira (10), com a oitiva de Marcela da Silva Morais Pinno, cabo da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). A policial chegou a ser jogada de uma altura de 3 metros da cúpula do Congresso pelos invasores das sedes dos Três Poderes no dia das invasões. O depoimento dela será reagendado.

Segundo o presidente da CPMI, Arthur Maia (União-BA), a reunião foi cancelada por causa de uma viagem de última hora da senadora Eliziane Gama (PSD-MA), que é a relatora do colegiado. 

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

"Em função do falecimento de uma pessoa muito ligada à senadora Eliziane Gama e da necessidade de seu deslocamento imediato ao Maranhão, e considerando que não há sentido em fazer uma oitiva sem a presença da relatora, decidimos cancelar a reunião da CPMI desta quinta. Meus sinceros sentimentos a Eliziane. Estão mantidos os depoimentos da próxima semana: terça (15), Adriano Machado; quinta (17), Walter Delgatti", informou Maia. 

Nova convocação de Silvinei Vasques

Mais cedo, Eliziane defendeu a ideia de que o ex-diretor da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Silvinei Vasques, preso na manha desta quinta-feira por suspeita de uso da máquina pública para interferir no processo eleitoral, seja reconvocado a prestar depoimento aos parlamentares.

Publicidade

“Mais do que nunca, a partir dessa prisão, está clara a necessidade de reconvocação para fazer uma compatibilidade, a partir dos documentos que nós levantamos, com a fala que ele trouxe na comissão”, afirmou a relatora.

A CPMI recebeu uma série de documentos sigilosos de teor bancário e fiscal, mas ainda aguarda quebras telemáticas. Também não há compartilhamento dos inquéritos do Supremo Tribunal Federal (STF) e da Polícia Federal (PF), já que a comissão entendeu que se trata de um material com investigação ainda em curso.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.