Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

CPMI do 8 de Janeiro será instalada na próxima semana, confirma Pacheco

Apesar de o Senado não ter feito todas as indicações, já há quórum para garantir o início dos trabalhos

Brasília|Bruna Lima , do R7, em Brasília

Pacheco confirma início da CPMI de 8 de Janeiro para a semana que vem
Pacheco confirma início da CPMI de 8 de Janeiro para a semana que vem Pacheco confirma início da CPMI de 8 de Janeiro para a semana que vem

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de Janeiro será instalada na próxima semana, na terça (23) ou na quarta-feira (24), confirmou o presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Apesar de o Senado ter oficializado apenas quatro das 16 indicações para membros titulares, já há maioria a partir das confirmações pela Câmara dos Deputados, o que possibilita o início dos trabalhos.

No Senado, apenas os blocos Vanguarda e Aliança protocolaram as indicações. Os senadores Eduardo Girão (Novo-CE) e Magno Malta (PL-ES) são os titulares pelo Vanguarda, e Esperidião Amin (PP-SC) e Damares Alves (Republicanos-DF), pelo Aliança.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

Já na Câmara, há apenas uma vaga, referente ao superbloco capitaneado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Confira os nomes oficializados abaixo:

Publicidade

Arthur Maia (União-BA)

Duarte Jr. (PSB-MA)

Publicidade

Carlos Sampaio (PSDB-SP)

Duda Salabert (PDT-MG)

Rodrigo Gambale (Podemos-SP)

Paulo Magalhães (PSD-BA)

Aluísio Mendes (Republicanos-MA)

André Fernandes (PL-CE)

Delegado Ramagem (PL-RJ)

Felipe Barros (PL-PR)

Rubens Pereira (PT-MA)

Rogério Correia (PT-MG)

Jandira Feghali (PCdoB-RJ)

Erika Hilton (PSOL-SP)

Leia mais: Soraya Thronicke e Davi Alcolumbre serão os senadores do União Brasil na CPMI do 8 de Janeiro

As articulações sugerem que o deputado Arthur Maia (União-BA) ficará com a presidência da CPMI. Ele é avaliado como um nome mais equilibrado para a condução dos trabalhos. A relatoria deve ficar com o senador Eduardo Braga (MDB-AM).

Mesmo contrário à CPMI, o governo passou a articular com vistas a impedir o comando da comissão pela oposição. Antes da divulgação das imagens que mostram o então ministro do GSI no Planalto durante as invasões, o governo tentava esvaziar o pedido, com negociações para a retirada de adesões, e mirava, sobretudo, o PSD e o Republicanos.

Com a reviravolta, os esforços do Executivo foram direcionados a puxar o comando da comissão para os aliados, a fim de evitar que a oposição use o espaço para construir o entendimento de que o governo foi omisso em sua atuação para impedir os ataques aos prédios públicos por extremistas contrários ao resultado das eleições.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.