Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Mais de 170 mil animais já foram vacinados contra a raiva no DF

Campanha, iniciada em julho, já alcançou 176.963 animais entre cães e gatos; expectativa é imunizar 300 mil animais até outubro 

Brasília|Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Vacinação contra a raiva em cães e gatos já alcançou mais de 170 mil animais no DF
Vacinação contra a raiva em cães e gatos já alcançou mais de 170 mil animais no DF Vacinação contra a raiva em cães e gatos já alcançou mais de 170 mil animais no DF

A Secretaria de Saúde já vacinou 176.963 cães e gatos contra a raiva. Até o final da campanha, em 1º de outubro, a expectativa é imunizar 300 mil animais. Segundo a pasta, estima-se que a população de cães e gatos no Distrito Federal é de 345.033, dos quais 308.419 (89,4%) são cães e 36.613 (10,6%) gatos. 

Ainda de acordo com a Secretaria, estão disponíveis 400 mil doses do imunizante para a campanha de vacinação. A expectativa é vacinar pelo menos 80% dos cães e gatos no Distrito Federal. A vacina é oferecida de segunda-feira a sábado, nos pontos 12 de vacinação distribuídos em diversas regiões do DF.

A Secretaria de Saúde orienta os tutores a levarem os cães com coleira, guia e focinheira. Já os gatos precisam estar em caixas de transporte. A campanha de vacinação ocorre com apoio de clínicas veterinárias, universidades, igrejas, administrações regionais e outras instituições

Vacinação antirrábica foi antecipada no DF

A campanha de vacinação contra a raiva, que estava prevista para começar neste mês, foi antecipada para julho no Distrito Federal. A Secretaria de Saúde decidiu pela alteração para alertar a população e prevenir a doença, após um caso de raiva humana ter sido confirmado na capital federal. O DF havia registrado apenas um caso de raiva em humanos, em 1978.

Publicidade

No final de julho, um adolescente, na faixa etária de 15 a 18 anos, morreu em decorrência da raiva. O jovem estava internado em um hospital particular desde o dia 20 de junho. Segundo a pasta, ele foi infectado após ser arranhado por um gato. Foi o primeiro caso confirmado na capital após 44 anos. 

O diretor de Vigilância Epidemiológica da pasta, Fabiano dos Anjos Martins, afirmou na época que é possível prevenir a doença e recomendou que os animais sejam vacinados anualmente, a partir dos três meses de idade.

Publicidade

A transmissão

A raiva é uma doença infecciosa que geralmente ataca mamíferos. O vírus é transmitido por meio da saliva de animais infectados. O contágio pode ocorrer por mordidas, arranhões ou lambidas em feridas e mucosas. O médico veterinário e diretor-substituto da Vigilância Ambiental, Laurício Monteiro da Cruz, explica que as áreas de possível contágio devem ser higienizadas.

Entenda os meios de transmissão da raiva
Entenda os meios de transmissão da raiva Entenda os meios de transmissão da raiva

A recomendação é lavar o local do contágio com água e sabão, para diminuir a possibilidade de propagação do vírus. Deve-se evitar também a interação com animais desconhecidos, principalmente quando estiverem se alimentando ou dormindo.

Publicidade

Cuidados e sintomas da raiva

Segundo o Ministério da Saúde, os sintomas da raiva são inespecíficos. Entre eles, o paciente pode apresentar:

• mal-estar geral;

• febre;

• anorexia;

• dor de cabeça;

• náuseas;

• dor de garganta;

• entorpecimento;

• irritabilidade;

• inquietude;

• sensação de angústia.

Espasmos dos músculos da laringe, faringe e língua também fazem parte dos sintomas, quando o paciente vê ou tenta ingerir líquido. O comportamento é chamado de hidrofobia. Os espasmos podem evoluir para um quadro de paralisia, levando a alterações cardiorrespiratórias. O período de evolução do quadro clínico até o óbito pode variar de dois a sete dias.

Veja os locais disponíveis para vacinação e aplicação de soro em caso de infecção em humanos pela raiva.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.