Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

'Não há hipótese de 8 de Janeiro se repetir', diz ministro da Justiça em exercício

Ricardo Cappelli afirma que depredação foi 'inaceitável' e que este ano será diferente; plano de segurança foi assinado nesta quinta

Brasília|Edis Henrique Peres, do R7, em Brasília

Atos como o 8/1/2023 não se repetirão, diz Capelli
Atos como o 8/1/2023 não se repetirão, diz Capelli Atos como o 8/1/2023 não se repetirão, diz Capelli (Marcelo Camargo/Agência Brasil - 8.1.2023)

O Ministro da Justiça e Segurança Pública em exercício, Ricardo Cappelli, afirmou que não há hipótese das manifestações do 8 de Janeiro do ano passado se repetirem. A declaração foi dada na manhã desta quinta-feira (4) durante a assinatura do plano de segurança com o governo do Distrito Federal para o ato em defesa da democracia, que será feito na próxima segunda (8), dia em que se completa um ano dos atos antidemocráticos em Brasília.

"Aquilo [que aconteceu ano passado] foi inaceitável. O Brasil é um país rico e democrático. Aqui todo mundo vota em quem quiser. Todo mundo manifesta a sua preferência política, ideológica, livremente. E é ótimo que seja assim. Agora não se confunde mais o que é manifestação democrática e tentativa de golpe de estado", afirmou.

Cappelli foi o interventor da capital do país, escolhido pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), nos primeiros dias de investigação da polícia a respeito dos atos antidemocráticos. Ele assumiu o Ministério da Justiça devido às férias do titular da pasta, Flávio Dino – que deixará o governo no próximo mês, já que passará a ocupar uma das 11 cadeiras do Supremo Tribunal Federal (STF) a partir de 22 de fevereiro.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Publicidade

Assine a newsletter R7 em Ponto

Nesta quinta, o ministro em exercício reforçou que a democracia não pode ser confundida com ataque aos poderes ou depredação do patrimônio público, histórico, material e imaterial do Brasil. "Eu digo que não há hipótese de se repetir porque a reação da sociedade e dos Três Poderes foi muito forte e estabeleceu um limite muito claro do que é aceitável em um estado democrático de direito", afirmou Cappelli.

Publicidade

Monitoramento constante

Cappelli falou ao lado da governadora em exercício
Cappelli falou ao lado da governadora em exercício Cappelli falou ao lado da governadora em exercício ( Renato Alves/Agência Brasília)

O ministro e a governadora em exercício do DF, Celina Leão, garantiram que estão atuando em um trabalho conjunto de integração e monitoramento de segurança para os atos do 8 de Janeiro deste ano. O plano de atuação foi assinado nesta manhã e contou também com a entrega, pelo Ministério da Justiça, de 20 viaturas, drones, armamentos, cartuchos e trajes para a segurança pública do DF. Ao todo, o investimento é de R$ 3,6 milhões.

Até o momento, não há previsão de fechamento total de vias ou de manifestações contrárias a cerimônia organizada pelos Três Poderes para esta segunda, informou Cappelli. O fechamento das vias deve ocorrer a partir da Avenida Presidente José Sarney, que liga os dois sentidos do Eixo Monumental, próximo ao Congresso Nacional, que antecede a alameda das Bandeiras. A iniciativa vai contar com tropas especializadas e, se necessário, linhas de revista.

A região também será monitorada por meio de imagens de câmeras, drones e informações enviadas ao Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob).

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.