Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

PF prende quatro pessoas envolvidas em atos antidemocráticos

Operação foi autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes e cumpriu 81 mandados de prisão em oito estados e no DF

Brasília|Hellen Leite e Renato Souza, do R7, em Brasília

O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes
O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes

Ao menos quatro pessoas foram presas pela Polícia Federal (PF) por envolvimento na organização de atos antidemocráticos. As prisões foram realizadas no Espírito Santo nesta quinta-feira (15) no âmbito do inquérito 4.781/DF, dos atos antidemocráticos.

A operação foi autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e também é deflagrada em outras sete unidades da federação: Acre, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina, além do Distrito Federal.

Ao todo, são mais de 80 mandados de busca e apreensão, mandados de prisão, quebra de sigilo bancário e bloqueio de contas de empresários.

No Espírito Santo, foram cumpridos 23 mandados de busca e apreensão nas cidades de Vitória, Vila Velha, Serra, Guarapari e Cachoeiro de Itapemirim.

Publicidade

" gallery_id="6397c0fe4b4955400b002cf7" url_iframe_gallery="noticias.r7.com/brasilia/pf-prende-quatro-pessoas-envolvidas-em-atos-antidemocraticos-15122022"]

Essa é a maior operação contra financiadores de atos antidemocráticos feita desde o fim das eleições. A ação é realizada contra pessoas e empresas identificadas pelas forças federais e locais de segurança como financiadores dos atos e bloqueios nas rodovias brasileiras.

Publicidade

Desde o fim do segundo turno das eleições, manifestantes contrários ao resultado têm fechado rodovias e acampam em frente a quartéis das Forças Armadas em diversas cidades do país.

Na última segunda-feira (12), manifestantes protagonizaram atos de vandalismo em Brasília, ao atear fogo em ônibus e carros e atacar prédios públicos — entre eles uma delegacia — e comerciais. Apesar da depredação, ninguém foi preso.

Os manifestantes tentaram invadir o prédio da Polícia Federal depois que o ministro determinou, a pedido da Procuradoria-Geral da República, a prisão de uma liderança indígena que participava das manifestações.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.