Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Relator da CPI das Pirâmides Financeiras sugere quebra de sigilo de Ronaldinho Gaúcho

Colegiado investiga a participação de empresas em operações financeiras e gestão de criptomoedas supostamente fraudulentas

Brasília|Camila Costa, do R7, em Brasília

Ex-jogador de futebol depõe nesta quinta-feira
Ex-jogador de futebol depõe nesta quinta-feira Ex-jogador de futebol depõe nesta quinta-feira

O relator da CPI das Pirâmides Financeiras, deputado Ricardo Silva (PSD-SP), afirmou que aguarda documentos solicitados ao advogado do empresário e ex-jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho para pedir a quebra de sigilo do ex-atleta. Ronaldinho é ouvido nesta quinta-feira (31) pela CPI, porque seria supostamente fundador e sócio-proprietário da empresa 18k Ronaldinho, que faz arbitragem de criptomoedas e prometia a seus clientes rendimentos de até 2% ao dia baseados em operações com moedas digitais. O colegiado investiga a participação de empresas em operações financeiras e gestão de criptomoedas fraudulentas.

“Teve oportunidade de votar requerimento de quebra de sigilo, mas não fizemos ainda porque aguardamos os documentos do advogado. Já poderíamos ter votado, mas não fizemos por ponderação. Não foi dado nenhum passo a mais, apenas o mesmo passo de uma apuração da Câmara”, explicou Ricardo Silva.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

A fala do relator aconteceu após a deputada Carla Zambelli (PL-SP) se posicionar contra a convocação do ex-jogador. Para a parlamentar, a vinda de Ronaldinho, principalmente a portas abertas, pode ter sido precipitada. “Vítima de culpa antecipada de algo que não foi investigado ainda. Eventualmente, pode manchar a imagem para o Brasil e para o mundo. Sinto muito que isso esteja acontecendo e espero que a justiça seja feita. Mas antecipar e te colocar em uma saia justa acho inválido”, declarou Zambelli ao ex-atleta.

Logo após a deputada se pronunciar, o relator explicou como têm funcionado os trabalhos da CPI. “Não posso permitir que a senhora faça uma fala tão desconexa dos trabalhos da CPI, que a senhora está conhecendo hoje. O requerimento [de Ronaldinho] contou com votos unânimes do partido da senhora. Com votos de todos os deputados. Essa defesa da senhora, apesar de legítima, não pode tangenciar os trabalhos da CPI. Aqui já convocamos mais de cem pessoas. A CPI em momento nenhum fez julgamento antecipado do senhor Ronaldo, tanto que teve oportunidade de votar quebra de sigilo, mas não fizemos ainda”, ponderou.

Publicidade

O presidente da comissão, Áureo Ribeiro (Solidariedade-RJ), afirmou que a CPI investiga casos que levaram a uma perda de R$ 100 bilhões. “Não adianta usar desse momento porque temos uma pessoa que deu muita alegria ao Brasil para fazer algo. Queremos saber o que aconteceu", defendeu o deputado.

Condução coercitiva

Ronaldinho está sendo ouvido nesta quinta (31) após ignorar duas vezes as convocações da CPI das Pirâmides Financeiras. Durante o depoimento, o ex-jogador de futebol negou ter tentado deixar o país para não comparecer à comissão. "Nunca recebi intimação desta CPI", disse o ex-atleta. O presidente da CPI chegou a dizer que Ronaldinho poderia ser alvo de condução coercitiva caso não comparecesse ao colegiado novamente.

Em sua fala inicial, o ex-jogador de futebol afirmou que teve a imagem usada indevidamente pela empresa 18k Ronaldinho, investigada pelo Ministério Público Federal por operar um suposto esquema fraudulento de pirâmide financeira que envolve criptomoedas.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.