Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Foragido e sem-teto: quem era o pedreiro que confessou ter estuprado e matado mãe e filhas

Gilberto dos Anjos tem 32 anos e está preso após contar que entrou pela janela do banheiro para roubar família

Cidades|Do R7

Melissa, de 10 anos, Manuela, de 13, Miliane, de 19, e Cleci, de 46, foram achadas mortas; Gilberto foi preso
Melissa, de 10 anos, Manuela, de 13, Miliane, de 19, e Cleci, de 46, foram achadas mortas; Gilberto foi preso Melissa, de 10 anos, Manuela, de 13, Miliane, de 19, e Cleci, de 46, foram achadas mortas; Gilberto foi preso

Suspeito de estuprar e matar uma mulher e as filhas dela, em Sorriso, em Mato Grosso, Gilberto dos Anjos é pedreiro, tem 32 anos e já tinha dois mandados de prisão expedidos por crimes de estupro e latrocínio antes de confessar os assassinatos.

Ele dormia no piso superior da obra onde trabalhava, próximo à casa das vítimas, e possuía apenas a cópia do documento de identidade. Gilberto contou que estava sob o efeito de entorpecentes quando invadiu a casa da família, pela janela do banheiro, na sexta-feira (24), para roubar.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Assine a newsletter R7 em Ponto

Publicidade

A mãe, Cleci Cardoso, de 46 anos, e as filhas Miliane, de 19, e Manuela, de 13, foram estupradas antes de morrer, enquanto agonizavam. A caçula, Melissa, de 10 anos, foi asfixiada. O marido de Cleci e pai das três meninas é caminhoneiro e estava viajando.

Gilberto contou que, após a chacina, saiu da casa pela mesma janela por onde entrou e voltou para a obra, onde retirou as roupas, sujas de sangue, e as guardou em um contêiner.

Publicidade

A Polícia Civil localizou as peças e as encaminhou para a perícia. Na sacola também havia roupas íntimas de uma das vítimas.

O investigado foi levado para a Penitenciária Dr. Osvaldo Florentino Leite Ferreira, em Sinop (MT). A Polícia Civil continua investigando o caso para saber se há mais pessoas envolvidas.

Publicidade

Identificação do suspeito

Segundo o delegado responsável pelo caso, Bruno França, marcas de chinelo no piso manchado com sangue na casa da família foram encontradas pela polícia. Policiais civis confirmaram que elas eram do calçado usado por Gilberto, após perícia.

Além disso, uma das vítimas possuía um tufo de cabelo nas mãos, e o suspeito, um ferimento na cabeça. O delegado também afirmou que ele levou as roupas íntimas das vítimas como "lembrança", o que ajudou a apontá-lo como principal suspeito do crime.

Outros crimes

Gilberto já tinha dois mandados de prisão expedidos por crimes de estupro e latrocínio.

Em setembro deste ano, em Lucas do Rio Verde, Gilberto invadiu uma residência e abusou sexualmente de uma vítima, que estava dormindo. Após o crime, ele ainda tentou matar a mulher, que conseguiu reagir, mesmo após ter levado uma facada no pescoço, segundo a polícia.

Outra vítima que também estava na casa tentou intervir e foi atingida com um soco no rosto dado pelo suspeito. Após os crimes, o homem fugiu em uma bicicleta.

VEJA MAIS: Filha de policial e candidata à Polícia Civil: saiba quem é mulher flagrada com câmera em concurso

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.