Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Bolsa Família começa a ser pago com R$ 150 por criança de até 6 anos

Mais de 1,4 milhão de beneficiários deixaram de fazer parte do programa, enquanto outras 694.245 famílias foram incluídas

Economia|Do R7

Calendário vai até o dia 31, de acordo com o final do NIS (Número de Identificação Social)
Calendário vai até o dia 31, de acordo com o final do NIS (Número de Identificação Social) Calendário vai até o dia 31, de acordo com o final do NIS (Número de Identificação Social)

O pagamento do novo Bolsa Família, que substitui o Auxílio Brasil a partir deste mês, começa nesta segunda-feira (20). Além da parcela de R$ 600, as famílias com crianças de até 6 anos vão receber um adicional de R$ 150. Ao todo, serão 8,9 milhões de crianças nessa faixa etária, num total de 21,2 milhões de famílias. A folha de pagamento chega a R$ 14,1 bilhões.

Quem recebe primeiro são os beneficiários com o final 1 do NIS (Número de Identificação Social). O pagamento continuará de forma escalonada até o dia 31 de março, para quem tem final 0 do NIS.

Os cartões e senhas que eram utilizados para o saque do Auxílio Brasil continuarão válidos e poderão ser usados para o recebimento do Bolsa Família. De acordo com a Caixa Econômica Federal, a forma de pagamento não muda e as famílias que recebem em conta poupança social digital poderão continuar movimentando os valores pelo aplicativo Caixa Tem.

Confira o calendário de março

20 de março – NIS 1

Publicidade

21 de março – NIS 2

22 de março – NIS 3

Publicidade

23 de março – NIS 4

24 de março – NIS 5

Publicidade

27 de março – NIS 6

28 de março – NIS 7

29 de março – NIS 8

30 de março – NIS 9

31 de março – NIS 0

Novas famílias

Segundo o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, deixaram o programa 1.479.916 famílias, que não se enquadravam no critério do benefício de transferência de renda. Mas foram incluídas outras 694.245 famílias que preenchiam os requisitos e estavam fora da lista de beneficiários.

Desde o início do mês, o ministério começou um recadastramento do CadÚnico (Cadastro Único do governo federal). Entre as irregularidades, 393 mil são famílias registradas como unipessoais. “Esses cadastros saem em março não por serem unipessoais, mas por estarem acima do critério de renda admitido pelo Programa Bolsa Família”, esclarece a secretária de Avaliação, Gestão da Informação e Cadastro Único, Letícia Bartholo.

Leia também

Novos pagamentos

Os adicionais de R$ 50 para as gestantes e a faixa etária de 7 a 18 anos começarão a ser pagos no mês de junho. Com base no levantamento de março, o programa tem a estimativa de 7,1 milhões de crianças de 7 a 12 anos, 7,9 milhões de adolescentes de 12 a 18 anos e 820 mil gestantes. Para junho, com o início dos pagamentos dos demais adicionais, a projeção é de que o benefício chegue a aproximadamente R$ 714.

Dados regionais

O Sudeste é a região brasileira que neste mês terá o maior número de novas concessões. São 283.640 famílias estimadas para integrar o programa, enquanto outras 591.376 deixam o Bolsa Família.

No Nordeste, a estimativa é da entrada de 209.320 famílias e da saída de 506.368. Já no Norte, são 78.484 novas concessões e 131.858 cancelamentos. O Sul terá 71.177 novas famílias e 155.651 exclusões, enquanto o Centro-Oeste contará com 51.624 concessões e 94.663 cancelamentos.

Quem tem direito?

Com as mudanças publicadas pelo governo federal na última sexta-feira (17), o programa considera aptas a receber o benefício as famílias que têm renda mensal de R$ 218 por pessoa. No entanto, essa renda por pessoa da família não poderá superar o valor de meio salário mínimo (R$ 651).

O período de validade do benefício é de 24 meses, sem que haja o cancelamento dos pagamentos, caso a família alcance renda por familiar superior ao que foi definido como critério para receber o dinheiro.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.