Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Educação
Publicidade

Estudantes comentam prova do Enem e já se preparam para o 2º dia

Exame abordou temas sociais e foi considerado de nível médio; no próximo domingo (28) participantes encaram questões de exatas 

Educação|Alex Gonçalves, do R7*

Gabriela Augustinelli (São Paulo, SP), Jônatas Silveira (Niterói, RJ) e Elisa Sanae (Porto Alegre, RS)
Gabriela Augustinelli (São Paulo, SP), Jônatas Silveira (Niterói, RJ) e Elisa Sanae (Porto Alegre, RS) Gabriela Augustinelli (São Paulo, SP), Jônatas Silveira (Niterói, RJ) e Elisa Sanae (Porto Alegre, RS)

O primeiro dia de prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2021 ocorreu neste domingo (21) e abordou questões sociais e sobre meio ambiente. No próximo domingo (28), os participantes vão responder a 90 perguntas de matemática e ciências da natureza (química, física e biologia).

O R7 ouviu estudantes que participaram do primeiro dia do exame. Eles avaliaram que a prova deste ano foi "mais fácil que a da última edição", mas "cansativa". E falam das expectativas para a próxima etapa.

Gabriela Augustinelli dos Reis, 18 anos, que mora no bairro do Tatuapé, zona leste de São Paulo, teve mais facilidade neste primeiro dia de prova que na edição passada. "Eu achei mais fácil neste ano", conta. "Alguns temas voltaram a aparecer na edição deste ano."

A jovem, que sonha conquistar uma vaga no curso de medicina, está com boas expectativas para o próximo domingo (28). "Acho que as disciplinas do segundo dia serão mais densas, com maior grau de dificuldade."

Publicidade

Leia também

Jônatas Silveira de Almeida, 24 anos, que é de Niterói (RJ) e também busca uma vaga em uma faculdade de medicina, gostou do tema da redação: Invisibilidade e Registro Civil. "Achei um assunto importante a ser discutido, não foi difícil", comenta. "Fiquei refletindo sobre essa questão, a de ver que muitos indivíduos estão invisíveis para todos, até para o Estado", diz.

"Acredito que eu tenha feito uma boa prova. Todo o conteúdo foi estudado ao longo do ano." O estudante também destaca a relevância do Enem: "É um exame de suma importância não só para avaliar o nível do ensino brasileiro, como também para proporcionar a entrada dos jovens no ensino superior".

Publicidade

A participante Elisa Sanae Lopes Wong, 18 anos, de Porto Alegre (RS), ainda está em dúvida sobre qual curso seguir, medicina ou psicologia, mas tem uma certeza sobre o exame: "O Enem é o pontapé inicial para ingressar em uma jornada mais autônoma e significativa".

Ela sentiu mais dificuldade na área de linguagens e considerou a prova cansativa. "Achei a parte de interpretação mais complexa, densa, com textos longos, muitas questões comparando dois textos, o que deixou o tempo mais apertado", avalia.

Publicidade

Ela também notou que muitos candidatos não compareceram: "Algumas pessoas não foram; em uma sala de 20 lugares, 16 pessoas compareceram".

Dados divulgados pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) no início da noite deste domingo apontaram a abstenção de 26% dos candidatos nas provas de linguagens e ciências humanas e redação.

Luana Negreiros (Guarulhos, SP), Alexandre Garcia (Bom Repouso, MG) e Bárbara Bueno (SP)
Luana Negreiros (Guarulhos, SP), Alexandre Garcia (Bom Repouso, MG) e Bárbara Bueno (SP) Luana Negreiros (Guarulhos, SP), Alexandre Garcia (Bom Repouso, MG) e Bárbara Bueno (SP)

Luana Negreiros Silva, 20 anos, mora em Guarulhos (SP) e pretende ingressar no curso de medicina com a nota obtida no Enem. Ela também teve dificuldade na prova de linguagens. "Muitos textos longos, foi cansativo. E o padrão das questões sempre gerava dúvida sobre mais de uma alternativa", diz.

Ela também achou o tema da redação totalmente inesperado. "Não imaginei que seria relacionado aos registros de nascimento e acesso à cidadania. Por não ser uma temática familiar, tive dificuldade, mas consegui pensar e desenvolver um texto coerente", finaliza.

Já o mineiro Alexandre Teodoro Garcia, 18 anos, quer cursar engenharia mecatrônica. Natural de Bom Repouso (MG), ele participou como treineiro no Enem de 2019 e agora fez a prova em busca de uma vaga em uma universidade. "Eu me senti bem mais preparado tanto para responder às questões quanto para escrever a redação", diz. "Também percebi que a prova subiu um pouco mais de nível", conta o estudante ao comparar a participação como treineiro e a de agora.

"Em geografia, havia questões relacionadas à urbanização e contextos sociais", lembra. "Já em história o foco foi o Brasil, com perguntas relacionadas à era Vargas e à década de 50."

Bárbara Bueno Pinheiro, 23 anos, fez a prova do Enem em São Paulo e optou pelo exame impresso, por ser o mais tradicional.

Sobre os protocolos de segurança contra a Covid-19, ela conta que o local onde realizou a prova adotou todas as medidas necessárias. "Havia álcool em gel disponível para os participantes em sala e também foi feito o distanciamento social para que não houvesse aglomerações no local", afirma a estudante, que busca uma vaga em medicina veterinária.

O Enem é uma das avaliações mais importantes do país, sendo a principal porta de entrada ao ensino superior público e privado através de programas federais como Sisu (Sistema de Seleção Unificada), Prouni (Programa Universidade para Todos) e Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior).

O segundo dia de prova ocorre no próximo domingo (28). Nesta edição mais de 3 milhões de inscritos participaram do processo seletivo.

Enem 2021: veja as imagens do primeiro dia de exame

*Estagiário do R7 sob supervisão de Karla Dunder

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.