Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Eleições 2016
Publicidade

Eleições 2016: 12,4 milhões de eleitores vão às urnas no RJ com reforço de segurança de 23,5 mil agentes

Votação acontece entre 8h e 17h; 4,9 milhões de cariocas vão às urnas

Eleições 2016|Do R7

RJ tem 431 candidatos a prefeito e 21.394 postulantes a vereador
RJ tem 431 candidatos a prefeito e 21.394 postulantes a vereador RJ tem 431 candidatos a prefeito e 21.394 postulantes a vereador

Neste domingo (2), 12,4 milhões de eleitores vão às urnas no Estado do Rio de Janeiro para eleger prefeitos e vereadores em 92 cidades.

Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), são 431 candidatos a prefeitos no Estado, enquanto 21.394 disputam uma vaga nas câmaras municipais. A capital é o maior colégio eleitoral do Estado, com cerca de 4,9 milhões de eleitores, seguida por São Gonçalo, com 686 mil votantes, e Duque de Caxias, com 628 mil.

Na cidade do Rio, os bairros com maior concentração de eleitores são Campo Grande (280.357), Tijuca (165.514) e Copacabana (147.135).

Os cariocas poderão escolher entre 11 candidatos para governar a cidade pelos próximos quatro anos. Também deverão eleger os 55 representantes que atuarão na casa legislativa municipal.

Publicidade

Os políticos que disputam a vaga para o Executivo da capital são Alessandro Molon (Rede), Carlos Osório (PSDB), Carmen Migueles (Novo), Cyro Garcia (PSTU), Flávio Bolsonaro (PSC), Jandira Feghali (PCdoB), Indio da Costa (PSD), Marcelo Crivella (PSDB), Marcelo Freixo (PSOL), Pedro Paulo (PMDB) e Thelma Bastos (PCO).

Esquema de segurança

Publicidade

O Estado do Rio de Janeiro contará neste domingo (2) com o reforço de cerca de 23.500 agentes das Forças Armadas e policiais militares para a segurança das eleições municipais. Além do efetivo normal, a Polícia Militar vai empregar mais 17 mil policiais em ação integrada com outros órgãos de segurança.

Na última quinta-feira (29), o Ministério da Defesa confirmou a presença de cerca de 6.500 militares do Exército, Marinha e Aeronáutica para atuar no esquema de segurança durante as eleições no Estado do Rio. O efetivo vai atuar em 11 cidades durante todo o final de semana (1º e 2 de outubro) para garantir a proteção na votação e na apuração das urnas, além de cooperar com o apoio logístico. O Rio é o Estado que receberá o maior quantitativo das Forças Armadas neste período eleitoral.

Publicidade

Na linha Amarela, o policiamento será feito com apoio da Força Nacional — o Ministério da Justiça não informou o efetivo a ser empregado.

O reforço na segurança tem relação com os recentes casos de assassinatos de políticos no Estado. Desde o fim de 2015, 15 políticos ou pré-candidatos foram mortos na Baixada Fluminense e na região metropolitana do Rio em nove municípios. Nesses dez meses, Duque de Caxias foi a cidade com mais casos: três pré-candidatos a vereador morreram.

Somente nesta semana, outros dois casos fizeram a lista crescer. O presidente da escola de samba Portela e candidato a vereador pelo PP, Marcos Falcon, foi morto no seu comitê eleitoral na tarde da última segunda-feira (26). No domingo passado (25), José Ricardo Guimarães Costa, conhecido como Capitão Guimarães, foi morto a tiros enquanto fazia campanha em Itaboraí, município da região metropolitana do Rio, na comunidade da Reta Velha.

Apesar do alto número de mortes, a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense que investigava os 13 casos que aconteceram na região, afirmou que apenas dois tinham motivação política.

Votação, justificativa e apuração das urnas

As seções eleitorais ficarão abertas das 8h às 17h. A apresentação do título de eleitor não é necessária, basta levar um documento oficial com foto, como carteira de identidade, passaporte ou carteira profissional. Certidão de nascimento ou casamento não serão aceitas.

Equipamentos eletrônicos como celulares e máquinas fotográficas são proibidos na cabina de votação. Os objetos ficarão retidos com o mesário enquanto o eleitor estiver votando.

O TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro) recomenda que os eleitores confiram o endereço de sua seção antes de domingo. A consulta pode ser feita no site do tribunal.

Para facilitar o acesso ao local de votação e aos postos de justificativa, a Justiça Eleitoral disponibiliza o aplicativo “Onde votar ou justificar”, caso o eleitor esteja fora do domicílio eleitoral. O aplicativo funciona como um guia que auxilia em relação às duvidas sobre a zona ou seção em que votam.

Quem não puder participar da votação no 1º turno das eleições municipais deve justificar a ausência. Se também faltar ao segundo turno, outra justificativa deverá ser feita. O procedimento pode ser feito no dia da eleição em um dos postos de justificativa ou em até 60 dias após a ausência. Caso esteja no exterior durante o pleito, deve se justificar em até 30 dias após retornar ao País.

Encerradas as votações, às 17h, os eleitores poderão acompanhar a apuração das urnas na tela da Record ou no portal R7.

A Justiça Eleitoral vai disponibilizar dois aplicativos para divulgar o resultado do pleito. O app “Resultados” permite o acesso aos votos totalizados para cada candidato por meio de consulta nominal. Já o “Boletim na Mão” possibilita ao eleitor conferir o resultado de qualquer seção eleitoral a partir de código QR. Os programas, desenvolvidos para tablets e smartphones, podem ser baixados gratuitamente nas lojas Google Play (Android) e Apple Store (IOS).

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.