Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Alemanha rejeita pagar indenizações à Polônia pela Segunda Guerra Mundial

Berlim afirma que o assunto foi encerrado na década de 1950, enquanto Varsóvia alega que sofria pressão da URSS na época

Internacional|

Monumento na Ucrânia em homenagem aos soldados da Segunda Guerra Mundial
Monumento na Ucrânia em homenagem aos soldados da Segunda Guerra Mundial Monumento na Ucrânia em homenagem aos soldados da Segunda Guerra Mundial

O Ministério das Relações Exteriores da Polônia anunciou nesta terça-feira (3) que o governo da Alemanha rejeitou formalmente o pedido polonês para negociar uma compensação pelos danos sofridos durante a Segunda Guerra Mundial.

"Segundo o governo alemão, a questão das reparações e indenizações pelos danos devido à guerra está encerrada e o governo alemão não tem intenções de abrir negociações sobre esse assunto", informa um comunicado divulgado pela diplomacia após receber uma resposta oficial de Berlim.

A Polônia acrescentou que continuará exigindo compensação pela "agressão e ocupação alemã entre 1939-1945".

Em setembro, a Polônia estimou as perdas pela Segunda Guerra Mundial em cerca de 1,3 bilhão de euros e enviou uma nota diplomática formal para Berlim com um pedido de indenização.

Publicidade

O serviço de imprensa do Ministério das Relações Exteriores alemão confirmou à AFP, nesta terça-feira, que o governo federal "respondeu a uma nota verbal da Polônia, de 3 de outubro de 2022", reiterando que não divulga publicamente "os conteúdos de sua correspondência diplomática".

A ministra das Relações Exteriores alemã, Annalena Baerbock, negou o pedido durante uma visita a Varsóvia em outubro e afirmou que, para Berlim, este é um capítulo encerrado.

Publicidade

A Alemanha afirma que a Polônia renunciou às reparações de guerra em 1953 e que confirmou esta posição em várias ocasiões.

Berlim manteve os mesmos argumentos diante dos pedidos de indenização levantados no passado pela Grécia.

Publicidade

Os conservadores que governam a Polônia questionam a validade do acordo de 1953, alegando que o país estava sob pressão da União Soviética.

Bigodes falsos, chapéus e óculos escuros: veja como espiões da Alemanha Oriental se disfarçavam

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.