Internacional Ataques russos às infraestruturas ucranianas ameaçam o futuro de 7 milhões de crianças

Ataques russos às infraestruturas ucranianas ameaçam o futuro de 7 milhões de crianças

Unicef alerta que a falta de acesso estável à eletricidade, calor ou água afeta o aprendizado dos menores

  • Internacional | Do R7

Resumindo a Notícia
  • Sistemas de abastecimento de água defeituosos aumentam risco de doenças

  • Menores também não podem se conectar com amigos ou familiares, o que afeta a saúde mental

  • Rússia vem realizando campanha de bombardeio maciço contra a infraestrutura energética

  • Até agora, 40% das capacidades de geração de energia da Ucrânia foram destruídas

Ataques russos às infraestruturas ucranianas ameaçam o futuro de 7 milhões de crianças

Ataques russos às infraestruturas ucranianas ameaçam o futuro de 7 milhões de crianças

Wojtek RADWANSKI / AFP

Os bombardeios russos contra a infraestrutura energética ucraniana representam riscos para "quase todas as crianças na Ucrânia", ou seja, quase 7 milhões de menores, apontou o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) , nesta quarta-feira (14).

Sem acesso estável à eletricidade, calor ou água, "as crianças não apenas enfrentam frio extremo - com temperaturas no inverno que podem cair abaixo de - 20°C - como também não conseguem aproveitar as oportunidades de aprendizado on-line, a única maneira de acessar educação para muitas crianças, entre tantas escolas danificadas ou destruídas", alertou.

Os centros de saúde também não podem fornecer todos os serviços essenciais e os sistemas de abastecimento de água defeituosos aumentam o já muito elevado risco de pneumonia, gripe, doenças de veiculação hídrica ou Covid-19, acrescentou a organização em comunicado.

Os menores também não podem "permanecer conectados com seus amigos ou familiares, colocando em risco sua saúde física ou mental", disse a diretora-geral do Unicef, Catherine Russell.

A Rússia, depois de sofrer vários reveses militares no terreno, vem realizando uma campanha de bombardeio maciço contra a infraestrutura energética ucraniana desde outubro.

Até agora, 40% das capacidades de geração de energia da Ucrânia foram destruídas e, apesar dos reparos, o sistema de energia do país só foi capaz de atender a 70% da demanda em um horário de pico de consumo em 28 de novembro, segundo o escritório da ONU para o Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).

Últimas