Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

'Esperei minha vida inteira', diz brasileiro que fará turismo espacial

Empresário é o número 462 da fila para ir ao espaço em uma nave da Virgin Galactic e deve realizar o feito até 2023

Internacional|Giovanna Orlando, do R7

Empresário brasileiro Marcos Palhares fará turismo espacial pela Virgin Galactics
Empresário brasileiro Marcos Palhares fará turismo espacial pela Virgin Galactics Empresário brasileiro Marcos Palhares fará turismo espacial pela Virgin Galactics

Viajar para o espaço era um sonho distante algumas décadas atrás, mas já pode ser uma possibilidade para quem tiver dinheiro suficiente. Empresas privadas investiram bilhões de dólares para tornar viável o turismo espacial, setor que iniciou as atividades neste ano após muitos testes.

No final de semana, o bilionário fundador da empresa Virgin Galactics, Richard Branson, se tornou o primeiro empresário a viajar para o espaço em um voo suborbital, em que ficou fora da atmosfera terrestre por alguns minutos e retornou em segurança ao solo.

Neste mês, o homem mais rico do mundo, o fundador da Amazon e da empresa espacial Blue Origin, Jeff Bezos, vai decolar em um foguete e fará uma viagem mais curta e mais distante que a de Branson.

Ambas as viagens poderão ser realizadas por cidadãos comuns e endinheirados em breve. Um dos viajantes é o brasileiro Marcos Palhares, empresário e representante da Virgin Galactic no país que está na posição 462 da fila. A viagem custa cerca de US$ 250 mil, mais de R$ 1,2 milhão, e não há uma data certa para o embarque.

Publicidade

Esperando desde 2013 para realizar o feito, a expectativa é que o empresário consiga ir ao espaço até 2023, quando se tornará o segundo brasileiro a ir ao espaço depois do astronauta Marcos Pontes, que ficou uma semana na Estação Espacial Internacional em 2006. “Isso é algo que espero toda a minha vida”, diz Palhares.

O empresário conta que, a princípio, tinha o plano de ir ao espaço com o apoio do governo brasileiro, mas não surgiram novos projetos nacionais com essa finalidade após a missão de Pontes.

Publicidade

“Não houve nenhum chamamento público desde então. Tenho realizado treinamentos para esperar pela oportunidade de viajar pela minha nação. Enquanto isso não acontece, tenho trabalhado paralelamente”, conta.

Com treinos realizados na Nasa e na agência espacial russa, a Roscosmos, Palhares virou sócio de Marcos Pontes e abriu uma empresa em que qualquer pessoa pode contratar cursos e treinamentos voltados à área espacial.

Publicidade

“A Nasa permite que qualquer pessoa realize treinamentos rápidos e com valores acessíveis”, diz. Alguns dos cursos oferecidos pelos americanos duram só um dia. “Na Rússia, você tem um treinamento mais sofisticado, usa os mesmos laboratórios que os cosmonautas usam. É mais caro e mais profissional.”

A viagem

A experiência oferecida pela Virgin Galactic dura apenas alguns minutos. Os viajantes não podem sair da nave, que é um híbrido de avião e foguete, o que oferece “mais conforto e estrutura operacional”, segundo Palhares.

Publicidade

Uma das ideias do turismo espacial é permitir que cidadãos comuns conheçam o espaço, portanto, treinamentos longos não serão necessários. Palhares conta que, os tripulantes passam por treinos simples três dias antes do lançamento, que envolvem gravidade, preparo mental e informar aspectos da saúde de cada um.

Apesar dos avanços na área, o sonho da viagem espacial ainda é cara e inacessível para uma grande parcela da população mundial, mas, para o empresário brasileiro, quanto mais pessoas se interessarem, mais o setor consegue se popularizar.

“A viagem do Richard Branson foi uma sinalização de que as pessoas não precisam gastar milhões de dólares para viajar ao espaço. Antes, isso era restrito a uns poucos bilionários e governos. Com esse voo, o valor sai das dezenas de milhões para centenas de milhares de dólares”, conta.

Palhares realizou treinamentos na Nasa e na Roscosmos
Palhares realizou treinamentos na Nasa e na Roscosmos Palhares realizou treinamentos na Nasa e na Roscosmos

Visibilidade e investimentos

Com a guerra espacial travada pelos bilionários, o setor aeroespacial tem ganhado visibilidade e atraído mais pessoas. Com mais interesse pelo segmento, mais investimentos acabam sendo destinados à área e mais pessoas passam a trabalhar com isso.

“Isso já está acontecendo de forma quase automática”, diz Palhares. “Muitas pessoas estão se interessando. Eu vejo jovens acessando vídeos no YouTube que antes não tinham audiência nenhuma, as escolas estão interessadas nesse assunto. A atividade do turismo espacial colabora para a disseminação do conhecimento para a sociedade civil.”

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.