Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Governo do Peru declara estado de emergência em todo o país por 30 dias

País terá a suspensão dos direitos de reunião, da inviolabilidade de domicílio e da liberdade de trânsito nesse período

Internacional|

Governo do Peru decreta estado de emergência por 30 dias
Governo do Peru decreta estado de emergência por 30 dias Governo do Peru decreta estado de emergência por 30 dias

O governo do Peru decretou nesta quarta-feira estado de emergência em todo o país por 30 dias, o que provoca a suspensão dos direitos de reunião, de inviolabilidade de domicílio e da liberdade de trânsito, entre outros.

Além disso, o governo avalia a possibilidade de declarar um toque de recolher.

"Foi declarado estado de emergência em todo o país devido aos atos de vandalismo e violência, apreensão de estradas e rodovias, que já estão se estabilizando", disse o ministro da Defesa, Alberto Otarola, como medida em resposta aos protestos contra o Congresso, a prisão do ex-presidente Pedro Castillo e a posse de Dina Boluarte no lugar dele.

"É necessária uma resposta enérgica e autoridade por parte do governo", disse o ministro no pátio do Palácio do Governo em um breve pronunciamento enquanto era realizada uma reunião do Conselho de Ministros.

Publicidade

Ele explicou que uma edição especial do diário oficial El Peruano vai oficializar o regulamento que decreta um estado de emergência de 30 dias em todo o país, o que significa que a Polícia Nacional Peruana terá o controle da ordem interna com o apoio das Forças Armadas.

Ele ressaltou que esta medida foi motivada "para que os cidadãos possam ter a segurança e a certeza de que estamos controlando a ordem interna e, em seguida, vamos garantir o livre trânsito e a paz para todos os cidadãos", disse ele, acrescentando que é necessário proteger as infra-estruturas estratégicas para garantir o bem-estar e a paz dos cidadãos.

Publicidade

Leia também

Ele confirmou, ainda, que há a possibilidade de decretar um toque de recolher, mas que o governo ainda vai definir o marco legal da norma.

Os protestos dos últimos dias, especialmente no sul do país, têm exigido a convocação de uma assembleia constituinte, eleições antecipadas, o fechamento do Congresso, a renúncia de Dina Boluarte e a soltura do ex-presidente Pedro Castillo, que foi preso após tentar um autogolpe e ser destituído do cargo pelos parlamentares.

Na segunda-feira, os manifestantes invadiram o aeroporto da segunda maior cidade do país, Arequipa, e uma fábrica de laticínios. Ontem, manifestantes tomaram o controle de uma planta de gás no departamento de Cuzco. Além disso, nos últimos dias houve inúmeros bloqueios de estradas, saques de lojas e ataques a prédios públicos em várias partes do país.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.