Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Manifestantes invadem gabinete de governador na Síria e colocam fogo em partes do prédio

Mais de 200 pessoas se reuniram no local e pediram a queda do presidente Bashar al-Assad; testemunhas relataram troca de tiros

Internacional|Do R7

Manifestantes invadem gabinete de governador na Síria e ateiam fogo ao prédio
Manifestantes invadem gabinete de governador na Síria e ateiam fogo ao prédio Manifestantes invadem gabinete de governador na Síria e ateiam fogo ao prédio

Dezenas de manifestantes irritados com a piora das condições econômicas na Síria invadiram o gabinete do governador na cidade de Sweida, no sul do país, neste domingo (4) e atearam fogo em partes do prédio em meio a uma intensa troca de tiros, disseram autoridades e testemunhas.

Mais cedo, mais de 200 pessoas se reuniram em torno do prédio no centro da cidade, de maioria drusa, pedindo a queda do presidente sírio, Bashar al-Assad, em meio a preços crescentes e dificuldades econômicas.

A mídia estatal síria disse que dezenas de "bandidos" invadiram o escritório do governador e queimaram arquivos e papéis oficiais.

Três testemunhas disseram à Reuters que o governador não estava no local. O prédio foi desocupado antes que os manifestantes invadissem os escritórios.

Publicidade

"O gabinete do governador foi completamente queimado por dentro", disse Rayan Maarouf, ativista cívico e editor do Suwayda 24, um site local que cobre a região sul, e que publicou que várias pessoas ficaram feridas na troca de tiros.

"Houve tiroteio pesado", declarou Maarouf à Reuters, dizendo que não estava claro de onde veio o tiroteio na área fortemente policiada.

Publicidade

Uma fonte no hospital da cidade disse que um civil que estava sendo tratado morreu devido a ferimentos de tiro, enquanto outro ainda estava no hospital após ter sido baleado.

A província de Sweida foi poupada da violência observada em outras partes da Síria desde o início do conflito de mais de uma década, que começou depois que protestos pró-democracia contra o governante da família de Bashar al-Assad foram violentamente reprimidos pelas forças de segurança.

Publicidade

Leia também

A seita minoritária drusa, cuja fé tem suas raízes no Islã, resiste há muito tempo a ser arrastada para o conflito sírio, que opõe principalmente rebeldes sunitas contra o governo de Bashar al-Assad.

Muitos líderes comunitários e importantes líderes religiosos drusos se recusaram a aprovar o alistamento no Exército.

A Síria está passando por uma profunda crise econômica, em que a maioria das pessoas, após um conflito devastador que matou centenas de milhares e desalojou milhões, luta para comprar alimentos e bens básicos.

Testemunhas em Sweida disseram à Reuters que, uma vez dentro do prédio, os manifestantes derrubaram fotos de Assad.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.