Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Mercenários russos são acusados de tentar recrutar sérvios para guerra na Ucrânia

Presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic, aliado histórico da Rússia, questionou convocação de homens do país para conflito

Internacional|Do R7

Presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic, em evento oficial
Presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic, em evento oficial Presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic, em evento oficial

O presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic, denunciou na última segunda-feira (16) a publicação de anúncios do grupo paramilitar russo Wagner para recrutar cidadãos sérvios para a guerra na Ucrânia.

"Por que fazem isso na Sérvia?", preguntou o chefe de Estado do país balcânico durante entrevista televisionada, citado pela agência local Beta.

"Por que [...] fazem chamados quando isso vai contra as regras?", acrescentou.

No início do mês, o braço em idioma sérvio do RT, um veículo de informação pró-Kremlin, publicou anúncios para tentar recrutar sérvios no grupo de mercenários Wagner.

Publicidade

O grupo paramilitar foi criado em 2014 por um empresário próximo do Kremlin e desempenha um papel chave na Ucrânia desde a invasão russa em 24 de fevereiro.

Alguns combatentes sérvios se uniram às forças pró-Rússia na Ucrânia desde a anexação da península ucraniana da Crimeia em 2014. No entanto, o número exato de sérvios em solo ucraniano nunca foi revelado pelas autoridades.

Publicidade

A Sérvia não costuma criticar a Rússia, um país aliado. Os dois Estados, de maioria eslava e ortodoxa, mantêm há séculos fortes laços culturais e históricos. Os dois países também compartilham litígios – presentes e passados – com a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), aliada da Ucrânia.

Em março de 1999, a organização bombardeou a então República Federativa da Iugoslávia – formada pela Sérvia atual e Montenegro – durante a guerra do Kosovo, uma ex-província sérvia de maioria albanesa.

Publicidade

Os ataques provocaram a retirada dos sérvios desse território, que passou a ser administrado pela ONU. Depois, Kosovo declarou unilateralmente independência da Sérvia em 2008.

Ao lado de Belarus, a Sérvia também é o único país europeu que rejeitou aderir às sanções ocidentais contra Moscou, mas condenou a invasão russa da Ucrânia.

Leia também

A agência de notícias russa RIA Novosti publicou imagens nesta terça-feira (17) que supostamente mostram dois cidadãos sérvios participando de treinamentos na Ucrânia.

A presença do grupo Wagner também foi documentada na Síria, na Líbia e em países como República Centro-Africana e Mali, onde os mercenários foram acusados de cometer abusos contra a população civil.

Desde o início da guerra, dezenas de milhares de russos chegaram à Sérvia, um dos poucos países que não fecharam o espaço aéreo para a Rússia.

Oficina na Ucrânia reforma carros sucateados para serem usados na guerra

" gallery_id="63b57692cd77c0ed830000be" url_iframe_gallery="noticias.r7.com/internacional/mercenarios-russos-sao-acusados-de-tentar-recrutar-servios-para-guerra-na-ucrania-17012023"]

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.