Internacional ONU faz evento em homenagem ao Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

ONU faz evento em homenagem ao Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

Data foi criada em 2005 para honrar as pessoas que morreram e propagar conhecimento sobre o tema

  • Internacional | Larissa Crippa*, do R7

Resumindo a Notícia
  • ONU promove eventos para lembrar as vítimas do holocausto

  • 27 de janeiro marca a liberação do campo de concentração de Auschwitz

  • Secretário-geral da ONU explica que Hitler tentou tirar senso de pátria de judeus

  • Tema escolhido pela organização para marcar a data é 'Lar e Pertença'

Galeria de fotos em memória às vítimas do holocausto

Galeria de fotos em memória às vítimas do holocausto

Ronen Zvulun/Reuters - 26/01/2023

Em 2005, a Assembleia-Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) estabeleceu o dia 27 de janeiro como o Dia Internacional da Memória do Holocausto, e desde então diversos eventos e cerimônias têm acontecido ao redor do mundo para honrar a memória das vítimas e propagar conhecimento sobre o tema.

A data foi escolhida para ser o marco oficial por conta da liberação do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, um dos maiores documentados. Desde 2010, a ONU tem escolhido diversos enfoques para tratar do assunto, como histórias de sobreviventes, experiência das mulheres, aliados que escondiam judeus, entre outros. 

O tema deste ano é "Lar e Pertença". Os eventos vão explorar como as vítimas ajustaram suas ideias de “casa” e “pertencimento” ao enfrentar o ataque violento e antissemita durante o holocausto e o que “lar” e “pertencer” significavam para os sobreviventes nos anos do pós-guerra.

Judeus deixando campo de concentração

Judeus deixando campo de concentração

Kacper Pempel/Reuters - 27/01/2014

Entre as imposições de Adolf Hitler, criou-se um padrão para quem poderia reivindicar a Alemanha como lar e quem pertencia a ela.

A ONU explica, em uma galeria de informações sobre o holocausto em seu site oficial, que "o processo de definição e exclusão foi além da legislação e de campanhas de propaganda de desinformação e discurso de ódio para atos de terror sancionados pelo Estado que destruíram locais de culto, meios de subsistência e casas das pessoas". 

A organização ainda ressalta que essas pessoas perderam o sentido de pátria: era como se não fossem dignas de uma sociedade. Por isso, a reflexão sobre como os sobreviventes dos campos e as crianças nascidas nesses ambientes navegaram no mundo pós-guerra é essencial para a restauração da humanidade das vítimas. 

Para o secretário-geral António Guterres, nenhum genocídio é inevitável. Ele afirma que os nazistas só puderam atuar com tamanha crueldade, com atos desde a discriminação dos judeus da Europa até a sua aniquilação, porque poucas pessoas se manifestaram e muitos outros nada fizeram.

Assim, ao relembrar o holocausto, o mundo reconhece as ameaças à liberdade, à dignidade e à humanidade, inclusive nos tempos atuais. O chefe da ONU pediu que o genocídio nunca seja esquecido; para ele, nunca mais se deve fazer silêncio sobre esses assuntos. 

Os eventos principais acontecem na sede oficial das Nações Unidas, em Nova York, e o projeto se dividirá entre exibições (que começaram no dia 10 de janeiro e vão até 26 de fevereiro), vídeos (postados no canal do YouTube da ONU) e palestras presenciais em universidades da região.

Outras sedes da Organização das Nações Unidas ao redor do mundo farão os próprios eventos, e a programação de cada região pode ser encontrada nas redes oficiais. Para quem deseja se inteirar no assunto e acompanhar as solenidades online, basta seguir a ONU em qualquer uma de suas redes sociais ou pesquisar o tema "holocausto" no site da instituição.  

Murais na Itália mostram os Simpsons como vítimas do holocausto

undefined

* Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Marques 

Últimas