Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Congonhas (MG) pede suspensão de mineradoras após cidade ser tomada por nuvem de poeira

Fenômeno chamou atenção dos moradores nesta quinta-feira (13); população relata histórico do problema em função da mineração

Minas Gerais|Kaue Miranda* Do R7

Moradores se assustaram com a forte tempestade de poeira
Moradores se assustaram com a forte tempestade de poeira Moradores se assustaram com a forte tempestade de poeira

Uma tempestade de poeira encobriu o horizonte e assustou moradores da cidade de Congonhas, a 80 quilômetros de Belo Horizonte, nesta quinta-feira (13). Vídeos gravados por moradores mostram o forte volume de poeira que cobriu as montanhas da região.

Após o fenômeno, a prefeitura pediu a suspensão imediata e temporária das atividades de mineradoras na cidade e a "intensificação de todas as ações de mitigação e controle ambiental até a normalização das condições".

Segundo o diretor de Meio Ambiente e Saúde da União das Associações Comunitárias de Congonhas (Unaccon), Sandoval de Souza, tempestades de poeira em Congonhas costumam ocorrer anualmente em períodos de seca e vento. Isso acontece pelo fato de a cidade ter forte atuação de mineradoras e siderúgicas, avaliou.

"Congonhas tem mais ou menos 40% da sua área tomada de mineração e siderurgia. São áreas sem vegetação", explica Souza.

Publicidade

·Compartilhe esta notícia no WhatsApp

·Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

Souza afirma que, apesar do histórico, o fenômeno desta tarde foi mais forte que o usual e surpreendeu os moradores. As gravações feitas pela população se multiplicaram nas redes sociais.

"Eu faço um acompanhamento fotográfico desde 2008, mas hoje não estou na cidade, então muita gente me mandou", comenta.

Publicidade

Ainda de acordo com o líder comunitário, os habitantes da cidade estão preocupados com uma possível ampliação da área de mineração. Ele conta que, para o dia 30 de agosto deste ano, está marcada uma audiência pública para discutir com o movimento dos atingidos por barragens sobre a expansão da mineradora CSN. A aprovação do requerimento aconteceu durante reunião ordinária na Câmara Municipal da cidade na última terça-feira (11).

"O que está nos preocupando mais é que eles estão querendo ampliar muito mais. [A mineradora] que mais tem falado em fazer a expansão no município de Congonhas é a CSN. Ela fala em triplicar a produção. Existem também duas minas da Vale bem próximas à mina da CSN", comenta.

Protesto

Em 2022, moradores e lideranças comunitárias de Congonhas protestaram contra o projeto de ampliação da Mina Casa Pedra, da CSN Mineração. Eles reclamam que essa ampliação vai agravar a poluição do ar da cidade, que já convive com nuvens de poeira.

"Ano passado já haviam pedido essa audiência em razão da expansão. Agora, reuniu-se um grupo de moradores que está sendo procurado para vender os terrenos para eles, e nós orientamos a ir até a Câmara e pedir uma audiência pública para esclarecer o que eles estão querendo. Ninguém sabe direito", declara o líder comunitário.

Procurada pela reportagem, a CSN afirmou que realiza uma série de ações para reduzir a emissão de particulados e que faz um trabalho de cobertura de áreas que podem gerar poeira com a ação dos ventos. A Vale também foi procurada e salientou, em nota, que paralisou de forma preventiva e em atenção às comunidades as operações nas minas de Viga e Fábrica.

Já a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural informou que solicitou a paralisação das atividades das mineradoras.

Leia a nota da CSN, na íntegra:

"A CSN Mineração realiza uma série de ações para reduzir a emissão de particulados. Entre elas estão a umectação de vias, aspersão de pilhas e utilização de polímeros. Além disso, a Companhia realiza de forma ininterrupta um trabalho de cobertura vegetal dos taludes e de todas as demais áreas, porventura, desnudas e que podem, pela ação dos ventos, gerar poeira. Nesta época do ano, as ações são ainda mais intensificadas, em função da possibilidade de ocorrerem ventos fortes. No dia de hoje, por exemplo, foram registrados ventos anormais, de quase 50 km/h, o que pode acarretar uma maior movimentação de particulado, apesar de todas as medidas preventivas tomadas pela Companhia. Outro ponto importante a ser observado é a presença de outras atividades, similares às nossas na região, que também contribuem com a geração da poeira."

Leia a nota da Vale, na íntegra:

"A Vale informa que, diante do alerta da possibilidade de ciclones e fortes ventos na região de Congonhas, emitido pelo seu Centro de Controle Ambiental na manhã desta quinta-feira (13/7), paralisou, de forma preventiva e em atenção às comunidades, as operações nas minas de Viga e Fábrica. A ação faz parte do Plano de Mitigação de Poeira e Ações Emergenciais da empresa, devidamente protocolado na Prefeitura de Congonhas. Além do monitoramento da qualidade do ar da região, a Vale intensifica nos períodos de seca os controles operacionais para redução de material particulado, como umectação de vias, proteção de taludes e aspersão fixa, entre outros."

Leia a nota da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural de Congonhas, na íntegra:

"A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural informa que, após a incidência elevada de poeira registrada nesta quinta-feira (13), solicitou a paralisação das atividades das mineradoras e a intensificação de todas as ações de mitigação e controle ambiental até a normalização das condições. Além disso, a equipe de fiscalização está tomando todas as providências cabíveis."

*Estagiário sob supervisão de Pablo Nascimento

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.