Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Monitor7
Publicidade

É verdade que criança não pode tomar café?

Embora muitas vezes os pequenos queiram imitar os mais velhos no que consomem, bebidas com cafeína são contraindicadas

MonitoR7|Do R7

Crianças são muito mais sensíveis aos efeitos da cafeína
Crianças são muito mais sensíveis aos efeitos da cafeína Crianças são muito mais sensíveis aos efeitos da cafeína

É comum ver crianças querendo provar quase tudo o que adultos consomem, e isso inclui também uma bebida muito popular no dia a dia: o café. Mas essa bebida é absolutamente contraindicada, independentemente da quantidade.

"Neste momento, os pediatras desaconselham a cafeína para crianças menores de 12 anos e são contra qualquer uso de bebidas energéticas para crianças e adolescentes. Eles também sugerem limitar a cafeína a no máximo 100 mg (cerca de duas latas de refrigerante de cola de 350 ml) diariamente para aqueles de 12 a 18 anos de idade", diz a Academia Americana de Psiquiatria da Infância e Adolescência.

A cafeína está presente no café e em muitas outras bebidas e alimentos disponíveis, como refrigerantes, energéticos, alguns chás, chocolates e até mesmo em guloseimas.

Crianças e adolescentes são extremamente sensíveis aos efeitos da substância. Eles não têm o mesmo nível de tolerância à cafeína que os adultos, e podem sofrer efeitos negativos se consumirem muito.

Publicidade

Além disso, crianças e adolescentes podem não ser capazes de controlar quanto de cafeína eles consomem. Eles podem não estar cientes dos efeitos da cafeína, ou eles podem ser tentados a consumir mais cafeína para se manterem acordados ou para se sentirem mais alertas.

"Para as crianças, há muitas implicações potenciais da cafeína para a saúde", afirmou o endocrinologista Roy Kim, da Cleveland Clinica, nos Estados Unidos, em um artigo recente.

Publicidade

Os potenciais riscos são:

• aumento da frequência cardíaca;

Publicidade

• ansiedade;

• desidratação;

• diarreia;

• dor de cabeça;

• aumento da pressão arterial;

• mau humor;

• inquietação ou nervosismo;

• convulsões;

• interrupções do sono;

• tremores;

• problemas estomacais.

Especialistas recomendam cuidar desde cedo dos hábitos alimentares das crianças, reduzindo ou eliminando o consumo de produtos ultraprocessados, inclusive de refrigerantes que eventualmente possam conter cafeína.

Veja 7 dicas para melhorar o sono das crianças sem remédio

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.