Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Monitor7
Publicidade

Pai de Alok é o responsável por festival de música eletrônica atacado em Israel? 

Juarez Petrillo, que também é DJ, era uma das atrações da edição israelense da rave Universo Paralello

MonitoR7|Do R7, com Agência Estado

Alok explicou que pai não organizou rave em Israel, e apenas se apresentaria no evento
Alok explicou que pai não organizou rave em Israel, e apenas se apresentaria no evento Alok explicou que pai não organizou rave em Israel, e apenas se apresentaria no evento

O festival Universo Paralello foi interrompido com a invasão de Israel pelo Hamas no último sábado (7). Desde que a notícia do ataque ao local da festa de música eletrônica veio à tona — foram registradas 260 mortes até o momento — muitos internautas criticaram o fato de o evento ter sido realizado na região de Re'im, a cerca de 2 km da Faixa de Gaza, uma das áreas de maior conflito.

Juarez Petrillo, mais conhecido como DJ Swarup, pai de Alok e criador do festival, também foi alvo dos comentários nas redes sociais com questionamentos sobre a organização. Apesar de ter fundado a Universo Paralello, Juarez estava na edição da rave em Israel apenas como um dos artistas do line-up.

Alok foi quem explicou a confusão causada na web. O DJ afirmou que a organização do Universo Paralello israelense não é de responsabilidade do pai. Segundo Alok, Juarez apenas licenciou os direitos da marca da festa eletrônica a produtores israelenses e não foi o organizador da festa no local.

"O meu pai foi contratado a se apresentar em um evento que licenciou os direitos de uso do nome do festival, como já aconteceu em diversos outros países. O produtor israelense licenciou o uso da marca e produziu o evento por conta própria, sendo o meu pai uma das atrações", escreveu em um post nas redes sociais.

Publicidade

Ainda de acordo com Alok, Juarez está "seguro em um bunker aguardando direcionamento para retornar ao Brasil".

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

Diante do ocorrido, a organização brasileira do evento também se pronunciou por meio de nota e reforçou que outros eventos no mesmo estilo da rave Universo Paralello já foram realizados no mesmo local.

"O evento Tribe of Nova edição Universo Paralello estava sendo realizado na região Sul, próximo à Faixa de Gaza no último dia 6, um dos lugares atacados. Israel é reconhecida mundialmente por grandes eventos de música eletrônica e o local é conhecido por realizar diversos deles, tendo no dia anterior acontecido um festival com o mesmo perfil no mesmo local", informou a equipe responsável.

O que é a Universo Paralello?

Universo Paralello é o nome de um festival de música eletrônica nascido no ano 2000. Um dos fundadores é Juarez Petrillo, também conhecido como DJ Swarup. As primeiras edições foram realizadas em Goiás. O evento cresceu e se tornou uma das marcas mais conhecidas da música eletrônica brasileira, em especial do subgênero chamado de psytrance.

Na virada do ano de 2003 para 2004, a Universo Paralello saiu do Centro-Oeste e passou a ser realizada na Bahia, onde é sediada até hoje, na praia de Pratigi. Em geral, o evento acontece a cada dois anos. Durante a pandemia, ele foi interrompido, mas agora aumentou a frequência, com edições no fim de 2022 e outra marcada para 2023.

A Universo Paralello é uma rave — festa de música eletrônica, geralmente em locais a céu aberto e afastados, que acontecem ao longo de um ou mais dias. Com sua popularização, ela passou a assinar também eventos fora do Brasil. No ano passado, por exemplo, foram anunciadas no perfil oficial do evento teaser parties da Universo Paralello no México, Portugal e Espanha.

Veja fotos do terceiro dia de conflito entre Israel e Palestina

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.