Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Verdadeiro: só é possível pegar dengue quatro vezes na vida

A infecção por um sorotipo do vírus gera imunidade permanente apenas para aquela cepa, e não para as demais

MonitoR7|Ana Luiza Pêgo, do R7*

Brasil vive novo surto da doença
Brasil vive novo surto da doença Brasil vive novo surto da doença

Um novo surto de dengue preocupa as autoridades de saúde do Brasil neste ano. Com isso, voltam a circular boatos sobre a doença, inclusive o mito de que só é possível contraí-la uma vez na vida. Porém, infelizmente, não é bem assim.

As chamadas arboviroses (dengue, zika e chikungunya) têm em comum o fato de ser causadas por vírus transmitidos por um mosquito, no caso o Aedes aegypti.

De acordo com a farmacêutica americana Pfizer, a dengue é uma doença viral transmitida pela picada do mosquito e existem quatro cepas diferentes do vírus (sorotipos 1, 2, 3 e 4).

Todas as pessoas podem ser infectadas pelos quatro. A infecção por um sorotipo gera imunidade permanente apenas para ele e não para os demais.

Assim, em outras palavras, a pessoa pode ter dengue mais três vezes depois da primeira. E as próximas infecções podem ser até mais graves que as anteriores. 

Leia também

Até hoje, a ciência não desenvolveu um remédio específico para a dengue. As alternativas são os medicamentos para os sintomas que a doença desenvolve no paciente. Segundo a Secretaria da Saúde do Distrito Federal, os principais sintomas da dengue são: febre alta, dor de cabeça manchas vermelhas no corpo, dor nas articulações, mal-estar, dor nos olhos e falta de apetite.

Em relação às maneiras de prevenção, evitar que o inseto se reproduza é a melhor forma de combatê-lo. Além disso, evitar deixar água parada, usar repelente de insetos, tela mosquiteira, inseticidas e roupas longas são outras formas de se prevenir.

Ficou em dúvida sobre uma mensagem de aplicativo ou postagem em rede social? Encaminhe a questão para o MonitoR7 que nós a checamos para você: (11) 9 9240-7777 ou monitor@recordtv.com.br

*Estagiária do R7, com edição de Marcos Rogério Lopes

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.