Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Teste de 1.200 km com o novo Renault Megane E-Tech: um novo patamar

Crossover tem motor 220 cv com 30,6 kgfm de torque e baterias de 60 kWh

Autos Carros|Marcos Camargo Jr. e Marcos Camargo Jr.

Renault Megane E-Tech tem motor elétrico de 220 cv
Renault Megane E-Tech tem motor elétrico de 220 cv Renault Megane E-Tech tem motor elétrico de 220 cv (Marcos Camargo Jr. 19.01.2024)

A Renault está em um novo ciclo de investimentos para renovar seu portfólio. Dos mais de R$ 3 bilhões de euros, cerca de R$ 16 bilhões em nível gloal, mais de R$ 2 bilhões serão empregados na fábrica da Renault no Paraná. E para "puxar" um novo momento para a marca existem novidades como o Megane E-tech, um carro elétrico que responsável por fazer o link entre o que existe de melhor da marca na Europa aqui no mercado brasileiro. O R7-Autos Carros testou o novo Megane elétrico ao longo de um mês com 1.200km rodados e 4 recargas de energia. Veja o resultado.

TESTE DE 1 mês com o novo Renault Mégane 100% elétrico! Melhor que BYD e GWM? Veja o vídeo!

O Renault Megane chegou há poucos meses no Brasil. Seu design arrojado está alinhado ao estilo europeu da Renault com faróis afilados, perfil elevado e um misto de hatch e SUV com bastante personalidade.

Ao longo de um mês com 1.200km rodados foram 4 recargas de energia
Ao longo de um mês com 1.200km rodados foram 4 recargas de energia Ao longo de um mês com 1.200km rodados foram 4 recargas de energia (Marcos Camargo Jr. 19.01.2024)

O Renault Megane E-Tech utiliza a plataforma CMF-EV e mede 4,21 metros de comprimento, 2,70 m de entre-eixos, 1,78 m de largura e 1,50 m de altura. Já o interior conta com painel digital de 12,3 polegadas e uma central multimídia de 12 polegadas com conexão com Android Auto e Apple CarPlay.

Publicidade
Modelo tem sistema OpenR Link feito em parceria com o Google e que roda por meio de um processador Qualcomm
Modelo tem sistema OpenR Link feito em parceria com o Google e que roda por meio de um processador Qualcomm Modelo tem sistema OpenR Link feito em parceria com o Google e que roda por meio de um processador Qualcomm (Marcos Camargo Jr. 19.01.2024)

O Renault Megane E-Tech tem motor elétrico de 220 cv com 30,6 kgfm de torque e baterias de 60 kWh (fabricada em NMC: níquel, manganês e cobalto) foram desenvolvidas pela LG o que confere uma autonomia de 454 quilômetros em um ciclo WLTP e 360 no PBEV do Inmetro. De acordo com a fabricante, o SUV pode fazer de zero a 100 km/h em apenas 7 segundos, mas a velocidade máxima é limitada em 160 km/h.

Câmera de ré tem boa resolução
Câmera de ré tem boa resolução Câmera de ré tem boa resolução (Marcos Camargo Jr. 19.01.2024)

Bem equipado o Megane E-Tech elétrico tem novidades como sistema regenerativo avançado, LED com funções dinâmicas e sistema de iluminação ambiente personalizada, painel digital de alta resolução com 12 polegadas e sistema OpenR Link feito em parceria com o Google e que roda por meio de um processador Qualcomm e um pacote de itens de série que inclui controle de cruzeiro adaptativo, assistente de permanência em faixa, câmera 360 graus e sensores dianteiros e traseiros além de laterais com opção de desligamento do alerta, ar-condicionado digital de duas zonas entre outros itens.

Publicidade
SUV tem 2,70 m de entre-eixos
SUV tem 2,70 m de entre-eixos SUV tem 2,70 m de entre-eixos (Marcos Camargo Jr. 19.01.2024)

1.200km a bordo da novidade

O Megane E-Tech tem um perfil arrojado e moderno e por isso chama a atenção onde estiver. Não é raro ouvir frases como "finalmente fizeram um carro bonito" ou a surpresa dos transeuntes ao repararem que se trata de um Renault. E pessoalmente ele é menor do que nas fotos: tem 4,20m de comprimento com 2,68m de entre-eixos.

Publicidade
Bancos são confortáveis e tem acabamento em tons de cinza
Bancos são confortáveis e tem acabamento em tons de cinza Bancos são confortáveis e tem acabamento em tons de cinza (Marcos Camargo Jr. 19.01.2024)

Dirigi-lo é agradável fruto do bom acerto da plataforma CMF-EV, uma variação da CMF que teremos em breve no novo Kardian. Boa visibilidade, montagem acima do esperado e aceleração vigorosa são as marcas do Renault Megane. Mas nessa hora começam os tropeços. Pelo preço, o revestimento dos bancos em tecido mesmo sendo de boa qualidade poderia ser melhor e os ajustes são manuais e não elétricos, coisa que carros mais baratos já trazem de série. Não há também teto solar nem abertura elétrica da tampa do porta-malas. Passaria se o Megane não fosse um carro mais caro que os concorrentes, o que veremos a seguir.

Renault Megane E-Tech utiliza a plataforma CMF-EV
Renault Megane E-Tech utiliza a plataforma CMF-EV Renault Megane E-Tech utiliza a plataforma CMF-EV (Marcos Camargo Jr. 19.01.2024)

Fizemos uma viagem de São Paulo ao litoral sul paulista em um trajeto de cerca de 200km ida e volta, mas o suficiente para testar o bom desempenho do carro e a boa regeneração em três níveis. Saindo de SP com 302km de autonomia chegamos ao destino com 375km. Mas ao retornar, subindo a Serra do Mar, chegamos com 190km.

Modelo tem acabamento em tons de cinza
Modelo tem acabamento em tons de cinza Modelo tem acabamento em tons de cinza (Marcos Camargo Jr. 19.01.2024)

Para acomodar os pasageiros no banco traseiro sempre há limite. E foi possível fixar a cadeirinha do bebê, mas o espaço para três adultos é bem acanhado. A coluna C avança e contribui para uma sensação de espaço reduzido. Os pneus aro 18 são bojudos, mas o carro é baixo. Não fossem os pneus generosos o Megane E-Tech facilmente rasparia a dianteira em lombadas e valetas.

(Marcos Camargo Jr. 19.01.2024)

O sistema de modos de condução (Eco, Comfort, Perso e Sport) chamado Multi Sense altera bastante os parâmetros de condução e estão disponíveis por um botão redondo no volante. O contraste da tela de vidro à frente é excelente e não tem reflexos além do uso que é simplificado e bem traduzido. Aliás, fica evidente o bom trabalho de engenharia ao tropicalizar o Megane. O sistema não trava, não há reações duras de correção do volante sendo possível desligá-los facilmente.

(Marcos Camargo Jr. 19.01.2024)

Na prática fizemos quatro cargas no Megane E-Tech sem deixá-lo zerar a bateria nenhuma vez usando sempre entre 20 e 80% para melhorar sua eficiência. Em um wallbox residencial o tempo de carga é de aproximadamente 8h. Testamos também por duas vezes um sistema de alta potência disponível na concessionária Porsche Stuttgart na zona sul SP em cargas de 40 a 50 minutos. Na prática, o Megane E-Tech rende cerca de 380km na prática nos modos de condução Eco ou Comfort.

(Marcos Camargo Jr. 19.01.2024)

Com seus deslizes, o Renault Megane E-Tech custa R$ 279,9 mil. É bem mais que um BYD Yuan Plus de 204cv por R$ 220 mil, muito mais que um Hyundai Kona de 136cv e R$ 190 mil ou Peugeot e-2008 de R$ 169,9 mil. É mais caro que o Volvo EX30 de uma marca premium com preço a partir de R$ 230 mil. O Renault é mais potente, equipado, arrojado. Mas custa caro. Cabe ao consumidor colocar na balança se prefere um carro diferente e com seus deslizes na garagem pois certamente o Megane tem muita personalidade para conquistar os fãs de carros elétricos com desempenho notável nestes novos tempos.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.