R7 Planalto PF substitui delegado que chefiou apreensão de madeira ilegal

PF substitui delegado que chefiou apreensão de madeira ilegal

Thiago Leão foi transferido para a Delepat (Patrimônio). Quem assume o comando do Giase/AM é Pablo Michel Souza

Maior apreensão de madeira nativa da história do Brasil

Maior apreensão de madeira nativa da história do Brasil

Divulgação

A Polícia Federal retirou o delegado Thiago Leão do comando do Giase (Grupo de Investigações Ambientais Sensíveis), criado em 2019 pelo então superintendente da corporação no Amazonas Alexandre Saraiva.

O órgão nomeou para o cargo o delegado Pablo Michel Souza. Segundo a PF, foi uma decisão administrativa do atual superintendente da corporação no estado, Leandro Almada.

A fundamentação para a troca, de acordo com o órgão, é de “irregularidades administrativas na gerência do Giase, que serão objeto de apuração na esfera disciplinar pela Corregedoria Regional”, que segue em sigilo.

Leão, que foi transferido para a Delepat (Delegacia de Repressão a Crimes contra o Patrimônio), foi responsável pela operação Handroanthus, realizada pela PF em parceria com o MPF (Ministério Público Federal), que apreendeu, no final de 2020, recorde de madeira ilegal na região amazônica.

Na ocasião, a apreensão superou a marca de 226 mil metros cúbicos de madeira, totalizando um valor estimado de mais de R$ 129 milhões. A região é de cerca de 20 mil km², tamanho aproximado ao estado de Sergipe.

O delegado, inclusive, chegou a pedir ao STF (Supremo Tribunal Federal) que concentre o inquérito sobre a apreensão feita na operação, isso porque tem relação com o inquérito criminal ao qual o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles responde por suspeita de ter atuado para obstruir investigação que levou à apreensão recorde na região amazônica.

Últimas