Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Flordelis afirma que morte de Anderson do Carmo foi motivada por supostos abusos 

Ao ser interrogada no Tribunal do Júri de Niterói, a ex-deputada federal relatou ter sido vítima de agressões do ex-marido 

Rio de Janeiro|Do R7, com informações de Fernanda Macedo, da Record TV Rio

Flordelis disse ter sido agredida por Anderson
Flordelis disse ter sido agredida por Anderson Flordelis disse ter sido agredida por Anderson

A ex-deputada federal Flordelis foi a segunda entre os cinco réus a ser interrogada no sexto dia do julgamento da morte do pastor Anderson do Carmo, neste sábado (12).

Flordelis disse acreditar que o crime tenha sido motivado pelos abusos que ocorreram dentro da casa dela.

A ex-deputada federal contou que, inicialmente, houve uma desconfiança de que a filha Kelly teria sofrido abuso, mas que soube dos casos após o assassinato do pastor.

Sobre o casamento com Anderson do Carmo, ela afirmou que a relação era feliz no começo, mas que ele passou a agredi-la depois de um tempo, inclusive relatou ter sido enforcada e sufocada com um travesseiro.

Publicidade

"Meu marido só sentia prazer se me machucasse", comentou Flordelis sobre a agressividade do ex-marido na intimidade. 

Ela alegou não ter feito nenhuma denúncia contra Anderson do Carmo por vergonha. 

Publicidade

Ao ser questionada sobre quem matou o pastor, a ex-parlamentar, que chorou em alguns momentos, disse que não poderia acusar ninguém.

Flordelis também negou as acusações de tentativa de envenenamento da vítima. Ela disse que alguns remédios eram colocados na comida do ex-marido, porque ele não queria tomar as medicações de que necessitava. "Jamais vi minha vida sem Anderson do Carmo", declarou.

Publicidade

Denunciada pelo MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) como a mandante do crime, Flordelis só respondeu às perguntas elaboradas pela defesa e pelos jurados por orientação dos advogados.

Depoimentos de outros réus

Depois de Flordelis, a neta dela, Rayane dos Santos Oliveira, prestou depoimento e relatou também ter sido vítima de abuso por parte de Anderson do Carmo, mas que só falou sobre isso com a mãe após a morte dele. 

“Hoje entendo que passar a mão em mim, bater na minha bunda era abuso. Em Brasília acordei com o pastor em cima de mim, passando a mão no meu corpo. Quando me virei, ele deu um beijo na minha testa e foi trabalhar”, detalhou.

Perguntada sobre o motivo de não ter contado sobre o caso para alguém, Rayane explicou que tinha medo de perder a oportunidade que estava tendo de morar em Brasília, da vida que o pastor estava proporcionando.

Já a filha afetiva da ex-deputada federal, Marzy Teixeira citou episódios de abuso e agressividade de Anderson do Carmo. Questionado se o pastor alguma vez passou dos limites com ela, Marzy disse que escutou do pastor: "Sabia que você tem um corpão?".

Também foi ouvido André Luiz de Oliveira, filho afetivo de Flordelis, que comentou a relação familiar. Ele disse que nunca presenciou nenhum tipo de agressão de Anderson contra Flordelis, mas afirmou que ele era muito rígido.

Além disso, André Luiz declarou que a mãe só fazia o que o pai orientava. Ele também disse que tem Flordelis como o maior exemplo de caráter. No fim do depoimento, alegou inocência.

A última ré, Simone dos Santos Rodrigues, filha biológica de Flordelis, começou a falar por volta das 16h.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.