São Paulo Onda de calor chega ao ápice em São Paulo, que pode ter recorde de temperatura

Onda de calor chega ao ápice em São Paulo, que pode ter recorde de temperatura

Última máxima histórica registrada na capital foi em 17 de outubro de 2014, quando os termômetros marcaram 37,8ºC

  • São Paulo | Julia Girão*, do R7

Resumindo a Notícia
  • Diferentes previsões indicam possibilidade de SP registrar hoje 36ºC, 37ºC ou 38ºC.

  • Outras cidades do estado também podem bater recorde de temperatura máxima.

  • Inmet publicou alerta vermelho de grande perigo para 11 estados em razão da onda de calor.

Domingo pode registrar recorde de temperatura

Domingo pode registrar recorde de temperatura

GABRIEL SILVA/ATO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Por causa de um fortalecimento da onda de calor que atinge o Brasil nesta semana, a capital paulista pode registrar recorde histórico de temperatura máxima neste domingo (24), de acordo com o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas).

A última máxima histórica registrada foi em 17 de outubro de 2014, quando os termômetros marcaram 37,8ºC, o atual recorde absoluto. 

Leia mais: Com 34,8ºC, SP registra novo recorde de temperatura no ano; domingo deve ser mais quente

Neste sábado (23), a cidade de São Paulo registrou recorde de temperatura máxima no ano de 2023. Os termômetros marcaram 34,8ºC às 16h, mais do que os 34,7ºC anotados na sexta (22). Foi a quarta quebra em um intervalo de apenas dez dias na cidade. Os dados são do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

O CGE prevê que a capital tenha temperaturas na casa dos 36ºC neste domingo. Já o Inmet calcula que a máxima alcance os 37ºC. O Climatempo, por sua vez, aposta na possibilidade de a cidade registrar 38ºC.

Outras cidades do estado também podem bater recorde de temperatura máxima, como é o caso de Araçatuba, que, em 12 de setembro, registrou 37,4ºC e pode chegar aos 41ºC neste domingo.

 Compartilhe esta notícia no WhatsApp
 Compartilhe esta notícia no Telegram

Segundo Franco Nadal Villela, meteorologista no Inmet, há 30% de risco de esse recorde ser batido neste domingo. 

Isso ocorre, segundo o especialista, por causa de uma anomalia global da temperatura dos oceanos, que se aqueceram muito durante este ano, aliada a um bloqueio atmosférico que impede a chegada de frentes frias. 

"No começo do ano estávamos sob o fenômeno La Niña, que era o esfriamento das águas do Pacífico, e agora estamos sob o evento de El Niño, que é o esquentamento das águas. Isso tudo é uma sobreposição de efeitos em várias escalas", explica Villela. 

De acordo com a meteorologista Maria Clara Sassaki, do Climatempo, por causa do fenomêno El Niño, a atmosfera fica mais quente e os bloqueios se fortalecem, enquanto o ar seco ganha mais intensidade ainda. "Por isso, as ondas de calor ficam mais intensas."

Brasil

O Inmet ampliou o alerta vermelho — de grande perigo — para 11 estados e o Distrito Federal na sexta-feira (22). Na área vermelha sinalizada pelo Inmet, as temperaturas alcançarão picos 5°C acima da média por um período superior a cinco dias.

Esse risco é maior na região central do país, incluindo todos os estados do Sudeste e do Centro-Oeste, além de áreas da Bahia, Maranhão, Pará e Paraná.

Confira a previsão do tempo para os próximos dias em SP

• Domingo (24): mínima de 21ºC e máxima de 36ºC;
• Segunda-feira (25): mínima de 21ºC e máxima de 32ºC;
• Terça-feira (26): mínima de 19ºC e máxima de 35ºC;
• Quarta-feira (27): mínima de 18ºC e máxima de 34ºC;
• Quinta-feira (28): mínima de 18ºC e máxima de 33ºC;
• Sexta-feira (29): mínima de 25ºC e máxima de 29ºC;
• Sábado (30): mínima de 18ºC e máxima de 34ºC;
• Domingo (1º): mínima de 20ºC e máxima de 26ºC.

* Sob supervisão de Márcio Pinho

Praias de represa e cachoeiras: conheça lugares para se refrescar em SP

Últimas