Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

O que acontece com pessoas que tomaram CoronaVac interditada?

Apenas no estado de São Paulo, cerca de 4 milhões de doses de lotes sem autorização foram administradas

Saúde|Do R7

Anvisa vetou 25 lotes da CoronaVac produzidos em fábrica chinesa não inspecionada
Anvisa vetou 25 lotes da CoronaVac produzidos em fábrica chinesa não inspecionada Anvisa vetou 25 lotes da CoronaVac produzidos em fábrica chinesa não inspecionada

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou, nesta quarta-feira (22) o recolhimento do equivalente a 21 milhões de doses da CoronaVac que não tinham autorização para serem distribuídas no Brasil, mas não emitiu até o momento uma orientação em relação às pessoas que chegaram a receber estas vacinas.

O estado de São Paulo aplicou cerca de 4 milhões de doses de lotes interditados, admitiu a própria gestão do governador João Doria, em 4 de setembro.

Na ocasião, o governo afirmou que estava monitorando todos pacientes e nenhuma reação adversa havia sido registrada.

"De todo modo, toda a rede está orientada sobre a importância do monitoramento de todas as pessoas vacinadas, independentemente do imunizante administrado."

Publicidade

Na cidade do Rio de Janeiro, 1.206 indivíduos tomaram vacinas do lote não autorizado. A prefeitura descartou a possibilidade de revacinação, mas aguarda posicionamento do Ministério da Saúde sobre o caso.

A pasta ainda não se pronunciou em relação a uma eventual revacinação de quem tomou estas doses.

Publicidade

O lote interditado foi distribuído a municípios do estado do Rio no fim de semana. Além da capital, as vacinas foram enviadas para cidades da região metropolitana, Centro-Sul, Serrana, Médio Paraíba e Baixada Litorânea.

A interdição da Anvisa se deu porque o Instituto Butantan importou vacinas de uma fábrica do laboratório chinês Sinovac que não havia recebido CBPF (Certificado de Boas Práticas de Fabricação).

Publicidade

A agência disse ainda que analisou a documentação referente "à análise de risco e à inspeção remota realizadas pelo Instituto Butantan, e concluiu que permaneciam as incertezas sobre o novo local de fabricação, diante das não conformidades apontadas".

O Instituto Butantan divulgou nota para afirmar que já havia determinado, há uma semana, o recolhimento voluntário das doses interditadas e que já pegou de volta 1,8 milhão de vacinas entregues ao PNI (Programa Nacional de Imunizações).

"Dessa forma, não houve qualquer prejuízo para o calendário de vacinação estipulado pelo Ministério da Saúde. O instituto reafirma que a vacina foi analisada pelo rigoroso controle de qualidade do Butantan e não há qualquer indício de desvio de qualidade nos lotes da CoronaVac."

Ao todo, foram vetados 25 lotes da CoronaVac — 12,1 milhões de doses e o IFA (ingrediente farmacêutico ativo) para o envase de 9 milhões de doses.

Lotes interditados

Lotes já distribuídos (12.113.934 doses):

IB: 202107101H, 202107102H, 202107103H, 202107104H, 202108108H, 202108109H, 202108110H, 202108111H, 202108112H, 202108113H, 202108114H, 202108115H, 202108116H e L202106038.

SES/SP: J202106025, J202106029, J202106030, J202106031, J202106032, J202106033, H202106042, H202106043, H202107044, J202106039, L202106048.

Lotes em tramitação de envio ao Brasil (9 milhões de doses):

IB: 202108116H, 202108117H, 202108125H, 202108126H, 202108127H, 202108128H, 202108129H, 202108168H, 202108169H, 202108170H, 2021081701K, 202108130H, 202108131H, 202108171K, 202108132H, 202108133H, 202108134H

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.