"Fim do Ministério da Segurança Pública foi um erro", avalia Maia

Presidente da Câmara afirma que acabar com a pasta "foi uma sinalização ruim para o próprio governo" que foi com a pauta da segurança

Rodrigo Maia

Fim da pasta foi "erro para o próprio governo", diz Maia

Fim da pasta foi "erro para o próprio governo", diz Maia

Rafael Carvalho/ Governo de Transição - 14.11.2018

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu nesta quarta-feira (22) a recriação do Ministério da Segurança Pública. Essa possibilidade foi citada hoje pelo próprio presidente da República, Jair Bolsonaro, durante reunião com secretários estaduais de segurança, no Planalto.

"Criação de ministério não necessariamente gera novas despesas", afirmou Maia. "O fim do Ministério da Segurança Pública no início do governo Bolsonaro foi um erro para o próprio governo", acrescentou.

Maia pontuou que Bolsonaro foi eleito com a pauta da segurança pública. Em função disso, acabar com o ministério foi uma sinalização ruim para o próprio governo.

Leia também: Avaliação positiva do governo Bolsonaro sobe para 34,5%

"Não conversei com o presidente Bolsonaro sobre isso, mas a decisão de recriar o ministério é uma sinalização de priorização do tema da segurança pública que, de fato, precisa de uma política focada e concentrada no tema da articulação do trabalho do governo federal com os Estados", avaliou Maia.

O presidente da Câmara também afirmou que não vê problemas na recriação do Ministério da Cultura. Essa possibilidade está em estudo no governo, que convidou a atriz Regina Duarte para a pasta. "Uma secretaria ou um ministério, sem aumento de despesas não vejo problema", afirmou. Atualmente, a Secretaria de Cultura faz parte do Ministério do Turismo.