Maia chama medida provisória da suspensão do emprego de 'capenga'

Presidente da Câmara dos Deputados cobrou solução de Bolsonaro. Para Maia, medida gera pânico na população

Maia diz que medida gera pânico

Maia diz que medida gera pânico

Tomaz Silva/Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), classificou como "capenga" a medida provisória sobre a suspensão do trabalho. "Em algum lugar da burocracia tiraram parte da MP. O que nós conversamos com a equipe econômica sobre essa medida provisória diverge daquilo que está publicado. Tratar de suspensão de contrato de trabalho precisa estar vinculado a uma solução", afirmou nesta segunda-feira (23) em entrevista pela internet feita pelo BTG.

"Nessa MP vinha aquela redução de 50%, até dois salários. Está até na exposição de motivos essa parte que o governo entraria com R$ 10 bilhões, mas sumiu do texto", disse Maia.

Para ele, a medida gerou pânico na sociedade.

"Tenho certeza que a gente tem de construir rapidamente, junto com a equipe econômica, outra medida provisória, ou uma sinalização clara de que estamos preocupados com solucionar a manutenção dos emprego. Da forma como ficou gerou uma insegurança", comentou o presidente da Câmara.