Brasil Moro diz que foi surpreendido por 'vilania e baixeza' de hackers

Moro diz que foi surpreendido por 'vilania e baixeza' de hackers

Ministro criticou ataques a seu celular e afirma que não esperava que criminosos invadissem telefones de procuradores da república

Moro

Moro participou de audiência na CCJ do Senado

Moro participou de audiência na CCJ do Senado

Pedro França/Agência Senado - 19.06.2019

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou, nesta quarta-feira (19), que ficou surpeendido com o "nível de vilania e de baixeza" dos responsáveis pelo ataque durante audiência da CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) do Senado.

“Essas reações eram esperadas, já aconteceram no passado. Confesso que dessa vez, fiquei surpreendido pelo nível de vilania e de baixeza dessas pessoas responsáveis pelos ataques. Pela ousadia criminosa de invadir ou tentar invadir telefones de procuradores da república, inclusive o telefone do ministro da Justiça, e utilizar isso não para fins de interesse público, mas para minar os esforços anticorrupção”, disse. 

Moro presta esclarecimentos sobre mensagens vazadas. Assista

O ministro diz que sempre "agiu conforme a lei" como juiz no âmbito da operação Lava Jato.

"O que eu posso assegurar, embora eu não tenha mais as mensagens, é que na condução dos trabalhos como juiz no âmbito da operação Lava Jato, eu sempre agi conforme a lei", afirmou.

"Embora não reconheça que as mensagens sejam autênticas, o fato é que várias pessoas lendo essas mensagens não identificaram ali ilícitos, ilegalidades, ou desvios éticos", afirma. Moro diz que a dinâmica de trabalhos na 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável pelos processos da Lava Jato, e que eventualmente podem ter acontecido trocas de mensagens.

Moro afirma que deletou o Telegram do celular após ter ouvido falar sobre invasão do aplicativo nos Estados Unidos.  Por não ter mais o aplicativo, Moro diz que não tem "essas mensagens pra poder afirmar se são autênticas ou não. O que eu vejo ali, tem coisas que eu posso ter dito, tem coisas que me causam estranheza". 

Moro afirma que a divulgação das mensagens feita pelo site The Intercept Brasil "está repleta de sensacionalismos". O ministro reclama que não foi procurado pelo veículo antes da publicação da reportagem "violando uma regra basica do jornalismo".

Para o ministro, o site não teve a "dignidade" de entregar as mensagens as autoridades para avaliação da autenticidade. 

Assista ao vivo a programação da Record News: